segunda-feira, 11 de agosto de 2008

O Último da Noite

Fala o cara sensato, o Gorba. Gorba expressa tudo o que eu queria dizer nos últimos posts sobre o conflito na Georgia. Observação: o Washington Post é um jornal de direita.

Da AFP: "Os Estados Unidos cometeram um "grave erro" ao deixarem a Geórgia acreditar que poderia conduzir sem riscos uma operação militar na Ossétia do Sul, avalia o ex-presidente soviético Mikhail Gorbatchov em um artigo a ser publicado na edição desta terça-feira do Washington Post.

"Ao declarar que o Cáucaso, uma região localizada a milhares de quilômetros do continente americano, pertence a sua esfera de interesse, os Estados Unidos cometeram um grave erro", escreveu o Prêmio Nobel da Paz de 1990 nesta tribuna, que já aparece na edição on-line do jornal.

"Claro que a paz no Cáucaso é do interesse de todos. Porém, é apenas uma questão de bom senso admitir que a Rússia tem raízes nesta região, devido a uma geografia e séculos de história comuns", acrescentou Gorbatchev. "A Rússia não busca a expansão territorial, mas tem interesses legítimos nesta região", prosseguiu.

Para o ex-presidente russo, os ocidentais "expressaram posições desequilibradas" durante as discussões no Conselho de Segurança da ONU sobre a Geórgia. "O resultado é que o Conselho não pôde atuar com eficiência logo no início do conflito", destacou.

Ele também acusou o presidente da Geórgia, Mikhail Saakashvili, de ter tomado uma decisão "imprudente" ao lançar, quinta-feira, uma operação militar na Ossétia do Sul para retomar o controle desta região separatista. "Os dirigentes georgianos só fizeram isso porque tiveram o sentimento de serem apoiados e incentivados por uma força bem maior", afirmou, lembrando que as forças armadas georgianas "foram treinadas por centenas de instrutores americanos".

"Esse apoio, acompanhado pela promessa de uma adesão à Otan, fez os dirigentes georgianos acreditarem que poderiam conduzir, sem maiores conseqüências, uma guerra relâmpago na Ossétia do Sul", acusou Gorbatchev.

Na opinião do ex-presidente, "a Rússia era obrigada a responder". "Acusar Moscou de agressão contra uma Geórgia 'fraca e sem defesa' não é apenas cínico, é desumano", finalizou."

4 comentários:

Blogildo disse...

Tá tudo muito bem, tá tudo muito bom, mas o Gorba tem de encarar o fato que a Georgia (Georgia on my mind) é um país livre. Vacilou feio ao avançar para o lado da Ossétia achando que Putin não faria nada.
Mas daí a sugerir que os EUA estão por trás da ação da Georgia contra a Ossétia já vai um bom caminho, não?

Blogildo disse...

Por sinal, aquela área ali é a caixa de Pandora de tudo o que não presta. A Primeira Guerra começou com bobeiras desse tipo.

PATRICIA M. disse...

Nao estao explicitamente por tras, do tipo gritando: vai Georgia, invade a Ossetia do Sul. Mas, como bem disse o Gorbachev, eles estao la, dando dinheiro para a Georgia, armas, fazendo propostinhas para que a Georgia (e a Ukrania) entrem para a Otan, tudo assim, nas barbas dos russos.

A Georgia eh um pais livre, mas a Ossetia eh uma regiao livre e quem vacilou feio foi a Georgia ao invadir a Ossetia. Acontece que a Georgia esta achando que esta podendo porque esta com o apoio ocidental - apoio que ate o momento so se traduziu em palavras, porque ninguem vai mandar tropas para o Caucaso.

Blogildo disse...

Com certeza! O presidente da Georgia não é bobo. Ele sabia o que ia acontecer caso ele invadisse a Ossétia. Mas ele apostou num desgaste, ao menos, para a imagem da Rússia no panorama mundial. Eu acho que deveria ter havido esse desgaste. Apesar de não concordar com a invasão da Ossétia, quero deixar claro!

Pô, por menos que isso vagabundo do NYT desce o braço em presidentes americanos. E contra Putin? Nada. Nem uma reprimenda ou coisa do tipo. Contrário até. Tá todo mundo cheio de dedos - tantos nos EUA quanto na UE - para contrariar o czar.