sexta-feira, 25 de abril de 2008

Pós Feminismo - II

Voltando ao cartel masculino nas grandes empresas européias, ao Clube do Bolinha, onde menina não entra. Gostaria muito que essa questão já estivesse ultrapassada, mas como tudo nessa vida, são necessários muitos anos até que idéias insensatas sejam aposentadas de tão caducas.

Claramente há poucas mulheres no comando de organizações porque elas não querem esse tipo de vida, em geral. Elas não querem fazer 12, 13, 14 horas de trabalho por dia; elas não querem abrir mão de férias; elas não querem deixar de pegar os filhos às 5 da tarde na escola, e por aí vai.

Será que alguém acha que um desses caras aí, CEOs de empresas, qualquer que seja ele, chegou lá por acaso, ou que foi devido a seus belos olhos? Não, meu bem, foi fruto de uma vida de trabalho, e trabalho duro. Nada cai do céu para ninguém, assim sem mais nem menos.

Como disse anteriormente, não estou defendendo os homens, estou defendendo quem merece chegar lá por esforço próprio. E isso vai contra a política de cotas para mulheres em empresas. Já vi um grande banco americano fazendo isso, deliberadamente querendo ter um percentual de mulheres e negros mais alto que os outros, tudo em prol da tal da "diversidade". Se for mulher e negra então é mais preciosa ainda. Quer diversidade, vá ao zoológico. O tal do banco só conseguiu contratar uns incompetentes que foram demitidos um ano depois. Pfff...

Acontece que essa política de "diversidade", de ser PC, é mais comum nos Estados Unidos. Aqui na Europa o pessoal ainda não liga muito para esse tipo de coisa (ainda bem, penso eu). Por isso o mundo "machista" europeu, já que as empresas não vão contratar um ser humano só porque ele apresenta uma fenda ao invés de um membro, e um outro só porque ele tem a pele mais escura. Contribuindo para o mundo mais "machista" europeu, como disse anteriormente, há o fato de as mulheres européias não almejarem a esses cargos. O percentual de italianas que trabalha fora é baixíssimo se comparado com os Estados Unidos. Penso que a taxa de natalidade deveria ser inversamente proporcional. Que nada. Cá entre nós, o que o mulherio faz? Ou tem amantes, ou vai às compras? Isso não é da minha conta, é mais uma questão de curiosidade, hehe.

Último dado: depois de queimarem sutiãs na década de 70, pedirem amor livre e anti-concepcional, parece que paramos por aí. No MBA da Columbia Business School, apenas 35% da classe é formada por mulheres, e Columbia apresenta o percentual mais alto entre as escolas top ten americanas. Há escolas que tem apenas 20%, por exemplo. Pois é, por que será? Será que ainda estamos queimando sutiã por aí?...

9 comentários:

Cláudio disse...

Em compensação nós temos "Mulher Melancia", "Mulher Jaca" e , last but not least, a "Mulher Filé", com sua dança do pisca (use sua imaginação o o Google para descobrir o que isso significa).

PATRICIA M. disse...

Claudio, eh a degradacao total. Mas te digo que prefiro essas barangas (liberdade total para o que quiserem fazer) do que as muculmanas vestidas ate o pescoco com cara de piedosas.

Ajith disse...

Patricia what is the language of ur Blog .....

Lelec disse...

Oi oi Patrícia,

O feminismo deveria se bater contra a desigualdade. Por exemplo: mulheres que ganham menos exercendo o mesmíssimo cargo que homens.

No mais, penso como você: o que vale é o esforço. Há 30 anos, havia muito mais homens que mulheres nas cadeiras da Faculdade de Medicina da UFMG. Hoje, já há mais mulheres. Elas se esforçaram e estão deixando os cuecas para trás. Que assim seja.

Kiss,

Lelec

PATRICIA M. disse...

Ajith, it's Portuguese, my native language.

:-)

sigrid costa disse...

Patty, te falo eu, o que as italianas fazem o dia inteiro: LIMPAM CASA, PASSAM ROUPA, LAVAM, ARRUMAM ALMOçO, JANTAR, BUSCAM CRIANçAS NA ESCOLA, LIMPAM DE NOVO, LAVAM A CASA INTEIRA, ABREM ARMARIOS TIRAM AS LOUçAS PRA LAVAR E RECOMEçAM DE NOVO A LAVAR, LIMPAR, LIMPAR, LIMPAR... Ou seja, sao vidradas em limpar casa. Começam as 7 da mattina ou atè antes. Logo depois que chove ou neva, là vao elas limpas as varandas, enxugar. é uma doença. Mas a limpeza com elas mesmas, fica longe... Acho que isto è de qq mulher europèia. Beijos...

PATRICIA M. disse...

Sigrid, haha, sabia que voce ia responder! Saquei a neura com a casa, mas se a italianada nao tem filho, fica entao a limpar a casa a vida inteira e a cuidar do marido. Veja que nao te inclui no meio, hehe, voce NAO eh italiana e voce TEM filha. :-)

João Batista disse...

Queimar sutiãs? Será que não dá para fazer um protesto envolvendo camisetas molhadas?

PATRICIA M. disse...

Joao, entendi: voce quer que a gente primeiro queime o sutiã, depois vista a camiseta (branca de preferencia, ne, com uma malha bem vagabunda de fina) e depois ainda leve jato de agua que é para ficar que nem pinto molhado, ne?

Hmmmmmmmm...