sexta-feira, 18 de abril de 2008

Índio Quer Apito

Talvez não apenas apito, mas de quebra pedaçoes de espelhos e outras bugigangas.

Não sei se já deixei claro aqui minha posição em relação aos indígenas, mas vou dar uma dica. Gostava dos Bluecoats americanos. Foi uma pena que não tivemos uma "corrida para o oeste" como houve nos Estados Unidos. Assim, o problema do índio estaria eliminado, digo, solucionado.

Por outro lado, pelo menos não temos grande parte da população formada por indígenas como ocorre no Equador ou na Bolívia.

De qualquer forma, não acredito em culturas inferiores, e acho que elas devem ser niveladas com a cultura superior. Claramente a cultura do "homem branco" (acho idiota esse termo, mas enfim) é superior. Os índios deveriam ser trazidos à civilização - aliás, grande parte deles vive na civilização, essa coisa de se dizer índio hoje em dia é igual mulato que se diz negro. Digamos que de índio e negro todos temos um pouco.

Mas é óbvio que há interesses econômicos por trás desse papo mole de respeito a culturas, oca, maloca, menino barrigudo de verme, menina assassinada por causa das crenças, etc etc etc. Ou vocês não acreditam que a indiaiada extrai madeira? Índio quer helicóptero também, não havia um cacique desses aí que além de estuprar e não ser preso porque é inimputável andava de helicóptero? Ou seria jatinho? Não importa.

Lembram da Dorothy, a freirinha ianque assassinada a mando de um vil fazendeiro? Oh pobrezinha, dirão. Eu começo a duvidar das notícias que recebo desses rincões do país. O que a freira estava fazendo lá mesmo? Será que não estava fazendo baderna, perturbando a boa ordem das coisas? E o resto das malditas ONGs?

Eu só acredito em reservas indígenas se formos fazer um esquema turístico estilo Parque dos Dinossauros (ou seria Admirável Mundo Novo?). Vamos cobrar ingresso para manter os pelados por lá, vivendo da "caça e da pesca". Trazemos a europeiada maravilhada por um índio (depois de 500 anos ainda não perderam o gosto por um selvagem), cobramos ingresso para entrarem na tribo, participarem de rituais, dormirem em rede e andarem de tanga, e ainda se quiserem darem uma de Tarzan e Jane das florestas, abraçadinhos à Chita. Aí sim, seria um projeto economicamente viável que poderia substituir a cultura do arroz na região - por sinal, vocês viram o quanto aumentou o preço do arroz??? É uma boa plantar arroz ultimamente.

Como se dizia lá em casa, há muito tempo: nós não vemos a hora de o trator passar por aquela floresta, transformando tudo aquilo em ouro vegetal. Que venha a soja! O Mato Grosso já está fazendo isso, que a soja do Pantanal se estenda até a floresta. Sou Blairo Maggi para governador do Amazonas!

P.S.: teve um ataque histérico lendo esse post, ó verdoengo?

2 comentários:

Fernando Sampaio disse...

Hahah, menina, tem hora que você é dura na queda mesmo...Me lembrei de uma camiseta que fizeram na faculdade, um índio saindo da moita atrás de uma mira de caçador. e a frase: "Mate índio, índio é foco de doenças". Hahha, os verdes e vermelhos ficaram histéricos...

PATRICIA M. disse...

Fernando, haha, ate parece que nao me conhece... Eu falo o que penso, azar de quem nao gostar.

:-)