segunda-feira, 11 de dezembro de 2006

O Melhor Texto sobre Pinochet...

... foi escrito por Claudio Tellez, e esta a disposicao no site do Midia Sem Mascara.

Aqui vai o link para quem estiver interessado.

Nao preciso dizer que concordo, senao nao estaria postado no meu blog. Tellez logo no inicio aponta:

"Dois erros básicos costumam ser cometidos com relação ao tema de Pinochet. O primeiro é destacá-lo do contexto político, econômico, social e jurídico em que o Chile vivia à época da deposição de Allende. O segundo, é descontextualizar o "golpe" militar chileno da dimensão internacional."

Deixei a mesma opiniao no blog do Reinaldo. Alias, achei os comentarios dele bem fracos com relacao ao tema. Fracos e imparciais. Escreveu todos os posts de forma a irritar a esquerda comunista, e nao de maneira a informar os leitores. Perdeu uma grande chance.

9 comentários:

SSRJ disse...

Eu já tinha lido e aprovado.

Continuamos em sintonia!

Li tb seus comments no RA, fecho com vc em tudo, por isso eu te pesquei e sou sua fã.

Gostaria de saber qd vc começa a escrever para aquele jornal online... Não quero perder de jeito nenhum...

A prósito, sou de 8 de julho, mas sou descrente dessas correntes do "zodiaco", até pq meu signo é o das grandes "donas de casa" e eu sou um zero a esquerda, nem sei fritar ovo...vira sempre mexido !!!

Parabéns mais uma vez pela escolha de tema, e realmente o RA as vezes se perde em tentação ( afinal é humano).

Vc "tá causando" como diz a minha caçula !!!!

Blogue da Magui disse...

É verdade que o Chile deu sua arrancada com Pinochet.Mas ele ficou 17 anos no poder e matou quem lhe fizesse oposição.Assim , até eu.

Patricia M. disse...

Nao eh todo mundo que consegue realizar a facanha nao, Magui. O inFidel vai deixar a ilha no sufoco, e uma polpuda conta corrente no exterior. Kim Jong pai deixou a Coreia do Norte na miseria, e o filho vai repetir o feito. Aposta quanto que quando o Chavez cair ou morrer a Venezuela tambem estara quebrada, apesar de todo o petroleo?

Patricia M. disse...

Sem contar o fato de que esses dai ficaram mais de 17 anos no poder. Sao ditadores vitalicios. Excecao ate o momento feita ao Chavez, mas que ele quer ficar la eternamente, isso ele quer...

Anônimo disse...

Patrícia, ainda não tô conseguindo postar no seu blog.

Onildo Santos
blogildoblogger.blogspot.com

dansilvv disse...

No mesmo Mídia sem Máscara, encontrei um ótimo texto escrito por Cândido Prunes, que sintetiza perfeitamente tudo o que penso em relação à incoerência (ou hipocrisia) esquerdista:

http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=5443&language=pt

Anônimo disse...

Patrícia,
Estou com um comentário 'amarrado' desde cedo e não consigo postar no seu blogue...
Estou na fila!
André Wernner
andrewernner,blogspot.com

Anônimo disse...

Olá, Patrícia!
É, o ditador chileno seguiu o seu destino. Quanto qual das portas se abrirão para ele (C ou I), não nos cabe julgar. Porém, o seu embarque foi um alívio para o povo sofrido e usurpado em seus mais profundos direitos constitucionais.
Quanto ao contexto do progresso econômico chileno, é claro que Pinochet tem méritos nessas conquistas. Sem dúvida. Porém, com o demérito dos abusos do poder, da perseguição a jornalistas, sindicalistas e, obviamente, aos opositores do seu regime tocado com mãos de ferro e coração de aço!
Poderia ter feito tudo aqui pela economia, sem os excessos, que caracteriza os ditadores sanguinários, não é mesmo?
(Continua)
André Wernner
www.andrewernner.blogspot.com

Anônimo disse...

(continuação...)
Permita-me colocar a ‘colher’ no comentário seu para a Magui.
A meu ver a diferença entre Pinochet para o Fidel e também para o Hugo Chàvez é o populismo desmedido. O Pinochet, tirando os excessos, era firme no propósito de elevar a economia e a melhor qualidade de vida do país. Mesmo, matando o seu povo...
Já o Fidel e o Chàvez são da esquerda populista, aquela que usa do estado, que é de todos – para o barganhar com as camadas da pobreza o voto popularesco – ao invés de criar benefícios e melhores condições de vida para todos, na chamada linha do progresso. Esse populismo onde o estado se torna pai é um engodo. O Estado tem que criar condições e mecanismos para a pujança, e não apadrinhar estes ou aqueles com bolsa-qualquer-coisa, maquiando a verdade.
E a verdade é uma só. Emprego, trabalho e renda=dignidade.
Desculpe o tamanho.
É o da minha indignação!
Abs
André Wernner
www.andrewernner.blogspot.com