quarta-feira, 21 de maio de 2008

Quarta-Feira

Fiquei sem assunto, assim, sem mais nem menos. Primeiro pensei em fazer um post com o sugestivo título de "Previsões de Madrasta Patrícia para 2008 - não saia de casa sem elas". Aí achei que seria bobagem, várias vezes já disse aqui que o preço do petróleo ainda vai subir mais, a inflação também, por consequência os juros subirão, e aí o real finalmente desvalorizará. Sem contar a derradeira explosão das últimas bolhas consumistas que estão ainda sobrevivendo (a explosão da bolha das commodities fica para o ano que vem, ok).

Depois pensei em escrever algo sobre as bobagens que o Apedeuta disse hoje - mas isso já perdeu a graça completamente, ele sempre diz bobagens, invariavelmente. Tem hora que a piada perde a graça e a gente já não ri mais do palhaço de circo. Será que os meninos do Casseta & Planeta ainda conseguem fazer piada com o Mulla? Ou melhor, será que vocês ainda conseguem rir disso?

Então resolvo agora dar uma dica de leitura: estou lendo um livro excelente que achei aqui em casa, minha roommate comprou em uma exposição de quadros russos que ela foi em uma dessas galerias ou museus espalhados aqui em Londres. Mas o livro pode ser achado em qualquer livraria comum. Chama-se Russian Short Stories: From Pushkin to Buida, editado por Robert Chandler, editora Penguin Classics. Deliciosamente delicioso. Tenho consumido algumas horas dos meus finais de semana devorando os contos. Quase todos são o crème de la crème de seus autores, então para quem nunca leu contos russos vale a pena comprar o livro. Como escreveu o editor, a Rússia produziu mais contos que podem ser considerados excelentes do que qualquer outro país europeu ("Russian literature probably includes more great short stories than the literature of any other European country"). E eu adoro contos!

Não creio que acharão uma versão em português, não dessa edição. Se lêem a língua do bardo, com certeza para os que moram na Big Pineapple (meu carinhoso apelido para Sampa City - afinal, se NYC é a Big Apple, Sampa só poderia ser o Grande Abacaxi) a melhor pedida é ir à melhor livraria do Brasil, a Cultura do Conjunto Nacional (que saudaaaaades), e comprar o livro. Eles têm Penguin e se não tiverem esse título eles importam. A Cultura é fenomenal, sou fã deles de carteirinha. Para os que moram no interior do Brasil (o resto), bom, tentem a Cultura pela internet, hehe. Se houver maior interesse pelos contos passo os títulos/autores dos mesmos nos comentários. Aí vocês podem tentar outras edições. Mas cuidado, há muitas traduções do russo para o português que são horríveis.

Último teaser, prometo: há contos da era soviética que só foram publicados pela primeira vez após a glasnost. Interessantíssimos! Fiquei tão interessada, mas tão interessada, que vou comprar livros individuais de alguns autores depois de terminar de ler esse aqui.

Chega, boa leitura para vocês!

8 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Patrícia, "grande abacaxi" é ótimo!
É perfeito para definir São Paulo.
Para aproveitar bem a cidade, a exemplo da fruta, é necessário primeiro descasca-la, saber como dela se utilizar!
Por sua citação da Livraria Cultura, e outras eventuais que você faz, sabemos que você "entende da fruta"!
Abs

Lelec disse...

Oiê Patrícia,

Valeu pela dica do livro. Conheço os russos mais pelos romances, não pelos contos.

Já que você anda sem assunto, vou lhe dar uma sugestão para a pauta. Conte-nos como foi a última quarta-feira em Londres, quando, pela primeira vez na história, dois times ingleses disputaram a final da Liga dos Campeões. Conte-nos o clima nas ruas, nos pubs, a tristeza dos torcedores do Chelsea...Tenho certeza de que há muita história para contar.

Kiss,

Lelec

Funes, o memorioso disse...

Ora, sua sem vergonha!
Você não sabe que muitos dos seus leitores são portugueses? E não sabe que Portugal está a atravessar uma crise económica profunda?
E agora?
Agora os meus filhos não vão comer até segunda-feira, para eu poder juntar dinheiro, para comprar o livro dos contos russos.
E a culpa é sua!

Vinicius disse...

Patricia, Encontrei no Project Gutenberg

Best Russian Short Stories
http://www.gutenberg.org/etext/13437

PATRICIA M. disse...

Lelec, nao posso falar sobre isso, por varios motivos - em ordem de chegada dos fatos:

1) Trabalhei ate as 8 da noite
2) Levo 50 minutos pra chegar em casa
3) Começaria a trabalhar as 8 horas no dia seguinte (mais os 50 minutos para chegar ao trabalho)
4) Quarta eh dia de "ROMA" as 9 da noite no History Channel
5) Torço pelo Arsenal
5) Nao gosto muito de futebol mesmo, na tv entao nem pensar

Logo, nao assisti ao jogo, nem em casa nem no pub. Logo, nao posso comentar sobre isso.

:-)

PATRICIA M. disse...

Frodo, morei 6.5 anos na Big Pineapple. Eh onde morei por mais tempo desde que saí de casa. E morava pertiiiiinho do Conjunto Nacional. Passei várias tardes de sabado la, escolhendo livro na Cultura. Todos os meus pocket books em ingles sao de la. Pagava R$ 2 pelo livro. Bons tempos.

PATRICIA M. disse...

Funes,

Tadinhos!!! Mas eh uma boa causa, ne, melhor do que quando você deixa de alimentá-los para encher a cara de cachaça... Tsc tsc tsc coisa feia...

PATRICIA M. disse...

Funes, diga lá, meu amigo, quando é que Portugal alguma vez já saiu de alguma crise? Que eu saiba aí a crise é como um moto contínuo: se auto-alimenta...

Hehehehe.