sábado, 24 de maio de 2008

Meu Primeiro Eurovision

Hoje à noite fizemos uma pequena recepção aqui em casa para assistirmos à final do Eurovision. Nunca soube o que era o Eurovision até chegar à Europa. Nas Américas, temos concursos de música como o American Idol, mas todos locais, nenhum deles envolvendo mais de um país. É por isso que o Eurovision é diferente de todos eles, pois é um concurso entre países.

Justamente por ser um concurso entre países, as paixões se inflamam mais facilmente. Não é um grupo de juízes que vota pelos melhores cantores, mas sim as populações dos países participantes, via telefone. A única regra é que você não pode votar para o seu próprio país, caso esteja morando nele. Logo, um britânico pode votar pela Inglaterra se estiver morando na França; mas um francês não pode votar pela França caso more lá.

O concurso desse ano foi em Belgrado, aliás, THE Belgrade, segundo os juvenis apresentadores sérvios. Morremos de rir: THE Belgrade. Ok ok, já que vocês querem assim, THE Belgrade. O comentarista da BBC fazia a voz de fundo, e como ele foi sarcástico durante o show, típico humor britânico. Nada, mas absolutamente NADA de politicamente correto. Quando foi a vez de um desses países da Europa Ocidental votar e eles escolheram a terrível música de Portugal - e bota ruim nisso - o comentarista da BBC sacou essa: deve ser devido aos guest-workers que trabalham lá. Ha-ha-ha!

Não preciso nem dizer que toda a Eastern Europe votou a favor da Mãe Rússia, e por causa disso o horrendo grupo da Rússia ganhou o concurso desse ano. Só não entendo uma coisa: esses caras não se cansaram de babar ovo da Rússia não? Parece que ainda estamos em pleno regime soviético, até os bostas da República Tcheca votaram pela Rússia, ei meu, peraí, você não se lembra da Primavera de Praga? Seu vendido. E todos se fartando em dinheiro do Ocidente, isso é que é esperteza, o resto eu não sei o que é.

Havia pelo menos uns 10 clones da Britney Spears lá, e a clone melhorzinha, a grega, tirou terceiro lugar. Bom. Nós fizemos um pequeno concurso interno, e os meus favoritos foram os seguintes:

1) Finland
2) France
3) Norway - Croatia

Procurem os vídeos no YouTube e vocês terão uma idéia. Eu coloco aqui o meu favorito de todos os tempos, o grupo de hard rock finlandês. O único grupo de rock de todo o concurso. Os franceses ganharam segundo lugar primeiro pelo fato de terem cantado em inglês (hehe), segundo por não terem colocado um clone de Edith Piaf lá (eca), e terceiro por ser uma música bem simpática estilo anos 60. Os noruegueses cantaram uma música bem simpática também, all niiight loooooong, e os croatas entraram com uma música de cabaré que foi bem legal.

Fiquem aqui com meus amigos finlandeses, os melhores!!!! Na minha opinião, claro.

14 comentários:

PATRICIA M. disse...

Esse vídeo aí que postei não é o do Eurovision, é o da final que escolheu o candidato da Finlândia no próprio país.

Missä miehet ratsastaa!!!

Blogildo disse...

Putin ainda está no poder; A Igreja Ortodoxa Russa faz alianças com o poder e a KGB ainda funciona - inclusive em outros países - e você diz que 'parece que ainda estão no regime soviético'?

Não vote nos filhotes da mãe Rússia só pra você ver.

Funes, o memorioso disse...

Blogildo disse o que eu ia dizer.
Vivemos um regime em que todos esses povos do leste são momentaneamente independentes. Mas isso passa rapidamente e eles sabem-no. Convém não afrontar quem manda. Mesmo em festivalecos da canção.
E qunato à canção portuguesa, sua traidora, quanto à canção portuguesa... quanto à canção portuguesa...
Bem, eu podia dizer qualquer coisa em defesa dela, se alguma vez a tivesse ouvido.

PATRICIA M. disse...

Funes, entra no YouTube e pega a canção portuguesa. Não sou traidora; no nosso concurso interno eu dei 1 ponto para Portugal e 1 ponto para Espanha só por causa do sangue. Apesar das músicas terem sido bem ruinzinhas.

Frodo Balseiro disse...

Patricia, desse jeito muito em breve você estará acompanhando o BBB daí (se é que existe) escarrapachada no sofá da sala, comendo pipoca, e votando compulsivamente nos seus candidatos!
É ou não é? hehehehe..

PATRICIA M. disse...

Frodo, errou. Sim, há BBB, há The Apprentice, estamos em um mundo globalizado, o que você acha?

Mas eu detesto tv, assisto muito de vez em quando e somente aos canais que me interessam: Discovery e History.

O Eurovision foi apenas uma pequena concessão que fiz, tudo em prol da sociabilidade. Sou uma misantropa e de vez em quando tenho de me forçar a isso, veja bem.

Fábio Mayer disse...

Que eu lembre, o Eurovision é um festival de música popular, ou seja, transportando para o Brasil, seria algo como sertanejo ou axé e no máximo um samba de boa qualidade.

Porém, o nível da música popular européia é muito melhor que o nosso, de modo que neste festival se destacaram alguns nomes da música do continente, como Demis Roussos (Grécia), Mireille Mathieu (França), Roland Kaiser(Alemanha), mas poucos ingleses...

Não ouvi as músicas deste ano, especialmente a portuguesa. Mas do pouco que ouvi, gostei da música portuguesa atual.

PATRICIA M. disse...

Fabio, qualquer estilo de música pode ser apresentado, desde que a música seja inédita. Esse ano houve rock, muito pop, algumas músicas típicas, algumas românticas...

João Batista disse...

Irlande douze pointe! http://www.youtube.com/watch?v=-n--JnAwirk

corletto disse...

Foi meu primeiro Eurovision. Estou na França. Mesmo esquema, recepção, pessoas francesas, votação interna, pra só depois os franceses me contarem que o importante é votar no vizinho, vide os resultados dos Balcãs, Escandinávia e ex-URSS ... outra coisa patética é ver San Marino e Andorra votarem ...

PATRICIA M. disse...

Fala Corletto, bem vindo à Euroland!!! Já temos um pequenino grupo de expatriados aqui: eu, mineira-inglesa, o Lelec, mineiro-francês, e o Fernando, matogrossense ex-holandês (voltou pro MS, tsc tsc tsc).

Te digo o seguinte, há vida brasileira expatriada inteligente na internet. É raro, mas procura que acha. Que ce ta fazendo ai mesmo na Franca? Paris? Estudando? Trabalhando?

Daniel F. Silva disse...

Já pensou se algo parecido ocorresse no Brasil, com cada "músico" representando seu estado?

(Rapaz, não dá idéia...)

corletto disse...

Bem, o objetivo é parecido com o seu. Contudo, o caminho ainda é longo. Ainda tenho de terminar a faculdade no Brasil, mas por enquanto, após um tempo de intercâmbio numa universidade em Lyon, estou fazendo um estágio até o ano que vem numa corretora na Cidade Luz.

Vida inteligente é verdade, mas o que me conforta mesmo é ver os posts de "direita". Aliás, o que vem antes?

PATRICIA M. disse...

Corletto, não são de direita entao? Hehehe. Por que as aspas? A internet costuma ser o unico lugar onde os direitistas se reunem. Se falamos nossas ideias para as pessoas comuns, somos muito mal vistos.

Eu nao entendi o comentario, o que vem antes do que?