sexta-feira, 9 de maio de 2008

Energia

E o petróleo vai avançando firmemente para a marca mística de $130 o barril. Esse é o preço corrigido pela inflação a que chegou o petróleo na década de 70. Eu acho que passa dessa marca e o mundo verá uma nova crise do petróleo, para somar-se a outras crises já em curso. São tempos emocionantes esses, tenho dito. Pode-se dizer tudo da década de 00, mas jamais que foram tempos monótonos (lembrando que a década de 70 também foi interessante, e 80 e 90 foram uma chatice sem fim).

E para a minha satisfação, devido ao alto custo da energia, governos vêm se mostrando coerentes e racionais e tomando a decisão certa. A Inglaterra, que havia banido a energia nuclear há uma década atrás, tem planos de construir mais e mais usinas. Todos aqueles ativistas estúpidos, onde estarão agora, heim?

E o carvão, aquele combustível que impulsionou a Revolução Industrial inglesa, também está voltando à cena, em pleno século XXI, na Europa. Dizem que vão usar uma tecnologia mais limpa etc e tal, but who really cares? O negócio é que não dá para depender do gás russo (alguém confia na Rússia?) e do petróleo do cartel do Oriente Médio (alguém confia em cartel?).

Será que o consumidor europeu está disposto a pagar o pato, ops, preço de tecnologias caras e não poluentes, enquanto o mundo lhe dá uma banana? Acho que os governos estão descobrindo que verde é legal, mas desde que seja barato. O que não é o caso.

Sabe aquela bobajada de créditos de carbono, Protocolo de Kyoto e o escambau a quatro? Alguém aí ainda acredita que isso vai ser renovado, que vai progredir? Hmmm, eu tenho minhas dúvidas. A China vai entrar na dança finalmente? Acho que eles já podem ser considerados "gente grande", não?

6 comentários:

Frodo Balseiro disse...

Patrícia, para quem gosta de emoções fortes, é de fato um prato cheio. Já existem agências sérias que prevêem o petróleo a U$200,00 entre 2009 e 2010.
Tirando os analistas financeiros que se divertem e ganham bonus estratosféricos com o vai e vem especulativo (nada pessoal minha cara...hehehe)o preço do petróleo é o fator que mais afeta as relações de troca comercial no mundo, e promove "ajustes" de preço e renda, fatais para alguns países, e muito bons para outros!
Muitos focam o petróleo como fonte de energia somente, o que é um equivoco. Você sabe que os sub-produtos do petróleo (por ex: a nafta, os fertilizantes)são mais do que elásticos em relação a seu (do petróleo) preço.
A nafta cá no Bananão, subiu 80% em um ano, e os fertilizantes mais do que 30%. Imagine só com esses dois o arraso que se faz nos produtos finais.
Enfim, além de divertidos, são dias perigosos.
Abs

Suzy disse...

Patrícia, o Putin (e os russos por tabela) são a própria KGB disfarçada...não perderam o cacoete.
Esta semana mesmo expulsaram os adidos militares americanos (e não vi essa notícia na mídia tupiniquim).
De resto, os ativistas também têm bolso (ou bolsa), hehehe.

Mas aproveito para te convidar para comentar uma entrevista do Aluízio Amorim: Fogo nos Botocudos! que fizemos com ele no blog novo que o Roça e eu criamos, o 'Direto do Abismo!' no link
http://darkabysses.blogspot.com

PATRICIA M. disse...

Frodo, não é especulação a razão do aumento do preço do petróleo. Já li bons artigos a respeito. A questão é que além de crises em alguns países produtores, o pessoal da OPEP simplesmente não quer aumentar a produção. E como são eles que detêm a maior parte do petróleo do mundo, fica difícil, não?

Eu acho ótimo que os derivados de petróleo aumentem tremendamente. Não seria interessante observar que aumentando o preço do fertilizante observaremos aumento no preço de soft commodities? E lá vem neguinho (comunista) culpar Wall Street pela crise de alimentos no mundo, sei... Seria uma otima justificativa para os melecas dos comunistas europeus reverem sua estúpida política contra grãos modificados geneticamente. Com plantações mais eficientes necesseita-se menos fertilizante.

Minha opinião é que se o preço chegar a um patamar irracional vai haver guerra, tão simples quanto isso. A diferença é que vai haver AMPLO apoio popular, hehehe.

PATRICIA M. disse...

Suzy, vou passar lá. Mas ativista debilóide deveria pensar na bolsa antes de abrir a boca de esgoto, na minha opinião. Hahaha.

PATRICIA M. disse...

O pior é que, como concordei (publicamente como diz o Frodo) com o energumeno mor do Bananão essa semana, tive de concordar com o ex-espião russo também.

Eu não sei o que anda acontecendo com a inteligência a diplomacia do Oeste, mas que aprovar a independência da meleca do Kosovo foi um erro tremendo, ah isso foi. Provocaram os russos a toa. E agora temos de mendigar a ajuda deles na questão contra o Iran. Estamos sendo MUITO idiotas.

Lelec disse...

Oiê Patrícia,

É engraçado como o petróleo predispõe países a ter governantes safados. Ao cartel do Oriente Médio, soma-se o Chávez. Tenho até medo de quem cuidará do Brasil quando a tal bacia Tupi estiver produzindo.

Quanto à energia nuclear, ela tem mesmo se revelado uma energia ecologicamente viável, mais do que os derivados no carbono. Aqui na França, 70% da energia doméstica vem de usinas nucleares. E o Sarkô ainda vai fazer mais algumas.

Kiss,

Lelec