quarta-feira, 19 de março de 2008

O Caso da Francesa e Melquíades Estrada

Sabem aquela francesa que teve o rosto desfigurado por uma doença e estava pedindo o direito à eutanásia? Foi encontrada morta. Não disseram ainda como ela morreu, mas morreu.

Achei esquisitíssimo o pedido dela. Primeiro, como seria eutanásia se ela não estava à beira da morte? Não seria então o tal do suicídio assistido, como fazia o Dr Death nos Estados Unidos?

De qualquer forma, com doença desfigurante ou não, com dores horríveis ou não, não concordava de jeito algum com o pedido dela. Se você quer morrer, se mate oras. Nem precisa avisar ninguém, pega uma pistola e estoura os miolos, compra veneno de rato, pula de uma ponte, se joga na frente de um ônibus, sei lá, há tantas formas de acabar com a vida por aí. Mas pedir que alguém acabe com a sua vida? E se o médico for cristão, como resolver essa pendenga? Eu se fosse médica não faria abortos muito menos eutanásias por livre e espontânea vontade, oras. Aliás, nem se fosse forçada a isso, mudaria de profissão.

Isso me lembra um filme muito louco que vi na tv um desses dias em que Mr X estava aqui em Londres, pós viagem da Itália. O filme se chama The Three Burials of Melquiades Estrada (2005), e foi dirigido pelo Tommy Lee Jones. Recomendo que assistam um dia desses. De qualquer forma, vamos ao que interessa. No meio do filme, o Tommy Lee está levando o cadáver do amigo que foi morto para ser enterrado no México, mais o autor do assassinato. Eles param em um rancho de um velho cego, perdido no meio do nada na fronteira do México com os Estados Unidos. O velho cego desconfia do que está acontecendo, mas ao mesmo tempo simpatiza com o Tommy Lee. Ele lhes dá comida e comenta que está lá sozinho, há mais de 2 meses seu filho não vem visitá-lo e ele é cego e sozinho no mundo (além de morar no meio do nada). Bom, no final da cena o Tommy Lee agradece a hospitalidade e se prepara para sair. O velho cego lhe faz um pedido, temente a Deus que é: que o matasse antes de ir embora, já que ele sabe que o filho nunca mais virá e ele não quer ficar ali. Tommy Lee responde magistralmente que, assim mesmo para não ofender a Deus, ele não pode matar o velho...

E sai cavalgando pelo deserto, levando atrás de si o homem morto no cavalo e o sherife acorrentado...

2 comentários:

João Batista disse...

Discordo: vá desarmar minas na Angola. Você vai morrer, cedo ou tarde, e ainda terá um pretexto a seu favor.

PATRICIA M. disse...

Pior, tem uns muculmanos malucos que preferem morrer explodindo outras pessoas juntos... Tsc tsc tsc.