sábado, 21 de abril de 2007

Sabado Poetico

Fiquem na maravilhosa companhia de Antonio Nobre, e tenham um bom final de semana!

O Somno de João

O João dorme... (Ó Maria,
Dize áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...)

Tem só um palmo de altura
E nem meio de largura:
Para o amigo orangotango
O João seria... um morango!
Podia engulil-o um leão
Quando nasce! As pombas são
Um poucochinho maiores...
Mas os astros são menores!

O João dorme... Que regalo!
Deixal-o dormir, deixal-o!
Callae-vos, agoas do moinho!
Ó mar! falla mais baixinho...
E tu, Mãe! e tu, Maria!
Pede áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...

O João dorme... Innocente!
Dorme, dorme eternamente,
Teu calmo somno profundo!
Não acordes para o mundo,
Póde affogar-te a maré:
Tu mal sabes o que isto é...

Ó Mae! canta-lhe a canção,
Os versos do teu irmão:
«Na Vida que a Dor povoa,
Ha só uma coisa boa,
Que é dormir, dormir, dormir...
Tudo vae sem se sentir.»

Deixa-o dormir, até ser
Um velhinho... até morrer!

E tu vel-o-ás crescendo
A teu lado (estou-o vendo
João! Que rapaz tão lindo!)
Mas sempre, sempre dormindo...

Depois, um dia virá
Que (dormindo) passará
Do berço, onde agora dorme,
Para outro, grande, enorme:
E as pombas que eram maiores
Que João... ficarão menores!

Mas para isso, ó Maria!
Dize áquella cotovia
Que falle mais devagar:
Não vá o João, acordar...

E os annos irão passando.

Depois, já velhinho, quando
(Serás velhinha tambem)
Perder a cor que, hoje, tem,
Perder as cores vermelhas
E for cheiinho de engelhas:
Morrerá sem o sentir,
Isto é deixa de dormir...
Acorda e regressa ao seio
De Deus, que é d'onde elle veio...

Mas para isso, ó Maria!
Pede áquella cotovia
Que falle mais davagar:

Não vá o João, acordar...

4 comentários:

gilrang disse...

m.,

i could not disappoint you and your poetic saturday. my answer to nobre (under the present circumstances):

the lark is now silent...
joao may calmly have his sleep
we´ll all be kept absent
until joao ends his weep...

let him sleep profoundly,
´cause joao deserves his time...
he deserves it soundly,
a boy with a destiny sublime...

oh, lark! oh dove!
oh, maria! oh mother!
oh, stars up above!
let´s not joao bother...

let´s wait until later on
when joao has grown older
and discovers he´s a beautiful swan,
not an ugly duck turned bolder...


be happiness blessings upon you descend, dear...

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Patrícia,

Bem que eu gostaria que o Brasil desse um chega pra lá naquela coisa quase um país que é a Bolívia... aliás, eu mesmo gostaria de tascar um safanão de acordo naquel indio metido a presidente...

Pena que os botocudos, aqui, não são de briga, preferem papo furado!

Funes, o memorioso disse...

Este poema constava do meu livro de leitura da segunda classe. Já o tinha em tempos citado no meu blog. Mas não me lembrava que era de António Nobre.
Obrigado.
Do poema, em si, não gosto.

PATRICIA M. disse...

Funes, tambem constava em um dos meus livros de literatura, no primario... Eh mais pela lembranca, hehe.

Faz parte de "So", e voce consegue fazer o download do livro no site do Projeto Gutemberg, se quiser.