quarta-feira, 11 de abril de 2007

Narcolepsia

Se coloque na seguinte situacao: voce ja passou dos trinta anos (eu sei, pessoal mais novo tem mais resistencia, mas mais dia menos dia terao menos, porque o tempo passa para todos, haha). Fica acordado ate as 5:30h da manha resolvendo exercicios que tem que entregar nas duas primeiras aulas do dia, a primeira as 9:00h da manha e a segunda as 10:30h. Acorda as 8:15h para se preparar para ir a aula.

Bom, passei o dia inteiro como um zumbi, andando de um lado para outro, sem dormir. A ultima aula comeca as 6 da tarde, e nao eh o dinamico professor que vai dar aula: eh um convidado, com voz mais monotona impossivel. Eu tento prestar atencao `a materia, afinal de contas eh do meu interesse. Eu juro que tento. Mas o cansaco toma conta. Como eh incrivel, tudo fica em slow motion. Eu pego uma folha de papel em branco e desisto de tentar prestar atencao: o objetivo eh nao dormir na frente do convidado. Comeco enumerando todas as letras que sei do alfabeto grego. Elas se acabam. Passo a enumerar estrelas. Nesse meio tempo, as palpebras pesam mais que dois sacos de cimento nas costas. Eh tao forte a sensacao, que tenho medo que minha cabeca caia sozinha em cima da mesa: sera que consigo pelo menos manter a cabeca em pe? A voz do convidado, la no fundo, parece mais uma cancao, um barulhinho gostoso... Eu continuo com a caneta no papel, tentando desenhar um boneco. Um boneco! Os pensamentos se embaralham como num sonho. O boneco vai ter a camisa do Sao Paulo. E desenho as listras verticais (verticais?) na camisa, e escrevo do lado a cor das listras, e sai assim no papel: preto, vermelho, anrlo...

Eu juro que sonho acordada nessas aulas noturnas, um sonho engracado, viagem fantastica, de olhos abertos. As vezes o professor diz alguma coisa e eu repito a frase na cabeca umas 10 vezes, 10 vezes, 10 vezes... Faz sentido? Nao sei... O que ele acabou de dizer mesmo? Alias, o que escrevi agora no caderno? Nao sei, mas juro que a camisa do Sao Paulo tem listras verticais, pretas, vermelhas e amarelas...

9 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Já me aconteceu uma sensação semelhante, mas ao volante, não numa aula.
Quanto tal me sucede, tento combater o sono, imaginando-me um serial killer com uma moto-serra eléctrica na mão.

Blogildo disse...

Patrícia, esse post me lembrou os devaneios e sonhos do Calvin durante as aulas da Mrs Wormwood.
Já experimentou se imaginar como o Cosmonauta Spiff? Heheheheh!

william disse...

Aposto que há algum tempo vc pensou que estava livre de tudo isso...

Sei como é. À noite, já fui acordado por professores na aula...

PATRICIA M. disse...

Funes, eu ja dormi ao volante por alguns poucos minutos, a sorte eh que a estrada era deserta. Horrivel dormir ao volante.

Blogildo, Calvin eh meu heroi. Hahahahahaha. Adoro o cosmonauta Spiff. Eu sempre "viajo", sempre, desde que era pequena. Hahahahaha.

oriane disse...

Na escola de magistratura me especializei em dormir com a caneta na mão como se estivesse escrevendo. Era boa nisso, ninguém nunca percebeu!

MANUEL HENRIQUES disse...

Patricia,

Você tem de tirar uma férias com urgência!!!!

gilrang disse...

m.,

SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS

Luc disse...

Vou te contar uma técnica infalível que aprendi com o Tom (do Jerry)e depois descobri que o famoso capitão Jack Sparrow também usa...
Você pinta dois olhos abertos nas suas palpebras.

Se funciona? Bem, se você não tiver um amigo pintor, vai depender mesmo das suas habilidades para desenhar de olhos fechados...rsrs

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Me lembrou algumas aulas de direito civil com o professor Elimar...ahahahaha...