domingo, 28 de outubro de 2007

Uma Ode Ao Queijo

Pois assim como sempre pronunciei manteiga, sempre disse queijo também. E queijo, ah, queijo não pode faltar na minha vida. Escrevendo um comentário no blog de um amigo que não gosta de queijo - supremo sacrilégio de homens de pouca fé - saiu-me sem querer essa pequena quadrinha - ridícula eu sei - a qual fiquei com vontade de postar aqui. Uma homenagem ao alimento dos deuses...

Queijos brancos, amarelos e rosados,
queijos fedidos, queijos cheirosos, queijos mofados,
com fungos, queijos redondos, quadrados,
queijos, queijos, queijos!

Lembro ainda como se fosse hoje, quando era criança e frequentava a fazenda do meu avô. Entrávamos na casa do capataz e sua mulher lá estava, fazendo queijos. Maravilhosos queijos brancos de Minas, a curar em cima de uma tela, por dias a fio...

5 comentários:

Costajr disse...

Há quem não goste de queijos? É, esse mundo tem mesmo muita gente esquisita.

PATRICIA M. disse...

Costa, deve ser alguma seria doenca, pois nao acredito que alguem nao goste de queijo assim, sem mais nem menos.

Blogildo disse...

Queijo! Adoro queijo! Mas a fixação por azeites ainda é mais forte!

jorge c. disse...

Quando vier a Portugal fazemos uma noite só de queijo e vinho. O azeite é ingrediente essencial, sempre!

Lelec disse...

Uai! Queijo é bão dimais, sô!