sábado, 27 de outubro de 2007

Manteiga

Cena: sábado a noite, hora do lanche, casa dos avós, todo mundo à mesa.

- Como é mesmo, Patrícia, repete para a gente. Como se chama isso aqui?

E apontam para a manteigueira, onde havia - é lógico - uma bela barra de manteiga amarelinha.

- Manteiga.
- Hahahahahahahaha, ela fala manteiga. Não é engraçado?
- ?!?

P.S.: Notem daí que sempre fui uma péssima mineira, pois sempre falei mineira e manteiga, desde quando era pequenininha. Ninguém me ensinou a falar assim.

5 comentários:

Costajr disse...

Não sei se foi um lapso, uma mudança de atitude, ou apenas para ser do contra; explica Patrícia, você decidiu aderir aos acentos tônicos?

PS: Pois lá e casa, na boa e velha Recife de minha infância, eu só falava mantêga.

um abraço.

PATRICIA M. disse...

Costa, quando me dah na telha coloco os acentos, hehehe.

Blogildo disse...

Vc não é mineira! Eu não acredito que vc ainda lembre de cheiro do merda de boi! Fala sério! Hehehehe!

Mas aqui no Rio a maioria fala mantêga!

PATRICIA M. disse...

Blogildo, já disse, o aroma de cocô de vaca me traz à mente memórias agradabilíssimas, e muito engraçadas às vezes. It's very dear to me indeed.

PATRICIA M. disse...

Acho que em relação à manteiga pode ter sido o espírito paulista que sempre habitou em mim...