sexta-feira, 2 de março de 2007

When Rock Meets Classic...

... the result could not be greater. O video da minha banda favorita de todos os tempos, tocando a minha musica favorita de todos os tempos. "Nothing Else Matters", com Metallica e a Orquestra Sinfonica de San Francisco.


8 comentários:

Suzy Tude disse...

Patrícia, curti muito, adoro o mix rock e clássico.

Beijos

Cejunior disse...

O que!!!! Patrícia é metaleira e eu não sabia ???? Uma grande banda, sem dúvida. E claro que eu já conhecia esse vídeo. Entre outros defeitos que tenho, um é gostar de metal!!!
Metallica forever!

Patricia M. disse...

Cejunior, hahahaha, voce achava que eu gostava de que? Pop? Nuuuuuunca... Adoro rock, sempre adorei! I sold my soul to rock and roll...

Mário disse...

Eu que leio a Patrícia n' O Insurgente não imaginei que ela fosse assim, linda... :)

gilrang disse...

m.,

till this very moment, i wouldn´t realize metallica had made music with that kind of sophistication, which really is, now that i know them better, far beyond the few gutural sounds their name suggests...

congratulations for your fine taste in music. in fact, nothing eles matters..

Catellius disse...

"voce achava que eu gostava de que? Pop? Nuuuuuunca..."

Patrícia,
Gosto muito do Metallica, apesar de eles terem ficado meio pop mesmo, um tanto quanto gays após o Reload, he he, justamente na época desse show híbrido. Quando um grupo de rock começa a decair reage ficando meio “fluffy”, cheio de enfeites e enxertos. Venero o Metallica por causa dos álbuns Metallica, ...And Justice for All, Master of Puppets, Ride the Lightning e Kill 'Em All, este com eles bem molequinhos, ainda com espinhas na cara. Depois desses só vieram auto-plágios e porcarias fluffies, pops e híbridas.
Load e Reload são o começo do fim. Depois se seguiram compilações, álbuns bônus, collector's Box, e St. Anger – uma porcaria de um álbum onde o talento dos primeiros anos parece não ter deixado quaisquer vestígios - e a decadência de ter que tocar com uma orquestra sinfônica que precisava se prostituir por uns trocados. Ainda bem que o Johnny Rotten da banda Sex Pistols morreu antes de ter que se enfiar em uma roupinha alinhada e tocar seus greatest hits com alguma sinfônica mercenária ou de fazer algum acústico MTV...
Quanto ao título do post, o certo seria dizer "When Rock Meets Symphonic Instruments", porque para ser música clássica não é suficiente ter cordas, madeiras, metais e percussão, do mesmo modo que se eu tocar sertanejo com guitarra, baixo e bateria não estarei fazendo rock'n roll.
Mas apesar da minha chatice (desculpe por ela), tenho que reconhecer que gostei dessa Nothing Else Matters com orquestra, fazer o quê? É contra minha religião de wagneriano e bruckneriano, mas realmente gostei...
Abraços

Catellius disse...

Mas estou ouvindo o Load agora...
Aqui eles ainda estão muito bons, he he

ringthane disse...

Oi... é que todos os albuns antes desse black album são melhores ;)