quinta-feira, 29 de março de 2007

O Implacavel


O tempo sempre exerceu um fascinio incrivel sobre as pessoas. Tic, tac, tic, tac... Os segundos, os minutos, as horas se escoam. Implacavelmente. Indefectivelmente. Eu ficava ouvindo o barulho dos ponteiros do relogio grande da sala, e sempre pensava sobre a areia escorrendo na ampulheta. A unica diferenca eh que, ao contrario da areia da ampulheta, que sempre passa de um compartimento a outro, aqueles minutos ja foram, ja fazem parte do passado. Os cinco minutos que se passaram desde que eu comecei a escrever esse post tambem ja morreram. Para todo o sempre.

Esperando minha colega de grupo terminar a parte dela no trabalho, eu fico aqui, sem dormir. "Dormir! Talvez sonhar." E como um fantasma insone vagando na internet, procuro por Shakespeare, e por Dali, e por outros fantasmas com os quais ocupar o tempo inutil. O tempo, que sempre passa. Infalivelmente. Democraticamente. Para todos.

12 comentários:

Blogildo disse...

O tempo é implacável. Sempre tive medo de Cronos. O cara devorava os próprios filhos. Mais ou menos como o tempo faz com a gente.
Brrrrrr!

Fábio Max disse...

O tempo é implacável e de certa forma, injusto!

Quando somos crianças, queremos que o tempo passe logo e ele demoooora passar. O Natal não chega nunca, seu aniversário, demora mais ainda e é um Deus nos acuda pensar no tempo em que seremos adultos para ter "liberdade".

Quando somos adolescentes, não há tempo suficiente para nada. Pô! A gente quer dormir 15 horas por dia, mas não pode abrir mão da balada e ainda tem que cuidar do(a)(s)namorado(a)(s), dos amigos, faculdade, colégio, cursinho, curso de inglês, sem contar as enooorrremes sessões recebendo conselhos dos pais.

E depois dos 30, o tempo corre rápido demais!!! A gente até consegue dar conta de todos os compromissos, se organiza e não leva a vida tão agitada. Mas o dia passa rápido demais, as semanas, os meses, os anos e agente se oilha no espelho e suspira pensando nos tempos de criança e adolescência!

Catellius disse...

Como Fábio Max disse, e Einstein antes dele, o tempo é relativo. Qual minuto dura mais, o minuto em que estou comendo um sundae ou o minuto em que estou pegando fogo dentro de um belo ônibus de turismo?
Por isso, não acho que o tempo seja democrático. Ele é infinitamente mais injusto com as pessoas que sabem aproveitá-lo, rs.

Blogildo disse...

Tem aquela máxima keynesiana que diz: 'No longo prazo todos estaremos mortos'! Então eu acho que o tempo democrático sim. Pelo menos no longo prazo.

Ou, como diria o Woody Allen: Eu não tenho medo da morte. Só não queria estar vivo quando isso vier a acontecer.

Costajr disse...

Esse papo sobre o tempo me fez recordar uns versinhos juvenis que fiz quando estudava Química em Recife

O Tempo é um juiz severo
que insiste em me condenar
Não sabe o que da vida eu espero
porque nunca precisou esperar
o Tempo é um juiz severo.

JÚLIO SILVA CUNHA disse...

Querida amiga,
recomendo este fabuloso livro do professor David S. Landes; Revolution in Time – Clocks and the Making of the Modern World, W.W. Norton, New York, USA.
Nesta obra, o professor Landes explica que o conceito de tempo, varia de sociedade para sociedade e que pode ser revelador do grau de progresso ou de atraso de uma comunidade humana concreta.
Fabuloso paraler na primavera!
:)
J.

PS. hoje escrevi um texto muito mau para os brasileiros. Mas é o relexo da minha experiência enquanto advogado!Os dados não mentem.

Cejunior disse...

Mas aí eu pergunto: e qual é o prazo desse longo prazo ??? Para quem vai embora com 90 ou com 9 anos ?
Vou ficar com o Fábio: o tempo é implacável!

william disse...

Às vezes é melhor que o tempo corra...

Lord of Erewhon disse...

Népia! Isso não é o Tempo... é só um daqueles relógios de sala chatos! :)=

Lord of Erewhon disse...

P. S. Quem se apurou mais: a genética ou o meio?

PATRICIA M. disse...

Ahhhhhh... Eu nao gostaria de voltar no tempo, mas gostaria sim de parar o tempo. :-)

Para quem gosta de literatura infanto-juvenil (eu adoro), aqui vai uma dica de um livro muito lindo: The Thirteen Clocks - James Thurber. Eh a estoria da Princesa Saralinda e do Duque Malvado que congelou o tempo.

PATRICIA M. disse...

Lord, acho que foi o meio, hahahaha. A genetica foi so o pilar basico, em cima dele o meio agiu, e vem agindo...