quinta-feira, 26 de junho de 2008

Civilizacao - Resposta

Na maioria das vezes concordo com o que diz o Claudio. Mas dessa vez nao.

Nos campos teorico e ideologico a ideia vale. Tambem vale se colocarmos um observador externo e pensarmos a Terra como uma civilizacao unica, um governo unico - epa, essas sao ideias da maior das ONGs do planeta, a ONU.

Mas desde que assisti a Black Hawk Down sou contra a maioria das interferencias do homem civilizado nas partes barbaras do planeta. O que nos, civilizados, ganhamos com isso? Nada, nem um tapinha nas costas. Acabamos sempre virando os monstros invasores, e os barbaros viram os pobres oprimidos. Quale, essa estoria toda ja me cansou.

Li hoje que uma ONG qualquer diz que a Somalia precisa de ajuda. Eh? Eu nao mandaria os meus meninos irem lutar naquele campo minado. Os Estados Unidos mandou uma vez, e so se deram mal. Nao vao repetir a besteira. E pensando praticamente, o que tem a Somalia a oferecer ao mundo civilizado? Nada, nem petroleo nao tem. O maximo que podemos pensar em termos de beneficio eh destruir umas tantas quantas celulas islamofascistas la. As quais nao devem estar na lista negrissima dos organismos de defesa do mundo civilizado, ou eles ja estariam la.

Zimbabwe? Pffff, que o povo do Zimbabwe lute contra seu proprio ditador, oras. O que nos civilizados temos a ver com eles? Ou que pecam a tutela do Reino Unido, que voltem a ser um protetorado britanico - aposto como eram mais felizes quando eram chamados de Rodesia.

Iraque? Eu fui contra a guerra, mas agora que ja estao la, tem de ficar ate limpar o terreno de vez - e isso leva tempo e consome preciosos recursos que nos, os contribuintes do mundo civilizado, pagamos. E nao recebemos nada em troca, a nao ser acusacoes, bombas nos metros e onibus de nossas cidades.

Quem defende essas teses da pax americana so pode estar sentado confortavelmente em sua cadeira no terceiro mundo, sem pagar um tostao furado pela guerra inutil. Economicamente a ideia nao faz sentido nenhum. E muito menos politicamente. Vide o odio que grande parte dos seres humanos - barbaros e civilizados - devota ao "Grande Satan".

3 comentários:

Cláudio disse...

Engraçado que eu ia fazer um post exatamente sobre esta questão do custo da guerra. Como conciliar isso com uma causa? Em tese seria com os países que ajudaram o país libertado se beneficiando de seus recursos. Mas como fazer isso quando nos dias de hoje, quando os libertados cospem na foto do seu libertador?

Essa questão não tem solução e é por isso que este princípo no qual acredito não passa disso, um princípio.

Quem político invadiria um país para liberar um povo e depois deixar seu próprio país com débito, além de virar sinônimo do capeta mundialmente? Eu não faria. Sei que esse princípio é impraticável no cenário, mas eu acho que isso não deixa de nos diminuir como civilização.

PATRICIA M. disse...

Claudio, essas guerras de "libertacao" - e vai entre aspas mesmo, porque acabam nao libertando ninguem - so se encaixam em alguma causa ideologica - nunca em uma causa economica.

Eu concordo que esse tipo de coisa que acontece no mundo nos diminui como civilizacao. Mas assim eh a natureza do homem, assim caminha a humanidade, nao ha nada absolutamente que possamos fazer a respeito. Seria diferente se fossemos... anjos... E vamos de Madison:

It may be a reflection on human nature, that such devices should be necessary to control the abuses of government. But what is government itself, but the greatest of all reflections on human nature? If men were angels, no government would be necessary. If angels were to govern men, neither external nor internal controls on government would be necessary.

Se fossemos anjos, nao teriamos abusos, nem guerras, nem nada. Seriamos perfeitos.

Fernando Sampaio disse...

Eu ia escrever sobre isso também.
Quer saber minha opinião? Sniper neles. Bala na cabeça. Nada de bloqueio não, manda o MI6 lá e acaba com o fanfarrão. Como diria o Cap. Nascimento olhando seu fuzil, senta o dedo nessa porra.