sábado, 21 de julho de 2007

O Mercado De Papel

Da AE - "A desvalorização do Dólar frente ao Real, que só no primeiro semestre atingiu 9,4%, traz prejuízos a importantes setores da economia nacional. A queda da moeda norte-americana é um dos principais motivos de a indústria de calçados deixar de exportar cerca de 5 milhões de pares de sapatos de janeiro a maio. É também o grande fator pelo qual a indústria têxtil trabalha com um déficit de US$ 1 bilhão na balança comercial do setor em 2007. Sem falar nos prejuízos causados ao agronegócio, à indústria moveleira e a de eletro-eletrônicos, o que pode resultar em milhares de demissões. O que as estatísticas não mostram é que, na ponta de um grande setor da indústria, o da reciclagem, os cerca de um milhão de catadores de latinha e de papel do Brasil também sentem no bolso o reflexo do câmbio."

Continue a ler a reportagem aqui. Ela mostra o drama dos catadores de papel e latinha de aluminio no pais, que tem que trabalhar mais para retirar o mesmo valor por mes que tiravam no passado. Admiro o trabalho dessas pessoas, pelo menos nao dependem da esmolinha federal. Podem encarar o mundo de cabeca erguida, como todos os outros.

Eu nao defendo a intervencao do Estado na economia. Nao creio que o Banco Central deva comprar dolares apenas para conter o cambio, como vem fazendo. Em um mundo globalizado como o que temos, eh necessario ser eficiente para ser competitivo ou voce eh engolido pelo mercado. O que acontece com a industria textil brasileira? Nao consegue competir com a chinesa. Sera apenas por que a China paga salarios aviltantes? Se assim eh, por que o governo petralha reconheceu a China como economia de mercado? Bem, perdeu o direito de instituir cotas de importacao. Bem feito.

Continuemos:

"O dólar é a principal referência na formulação dos preços das mercadorias, mas não é a única. Há ainda a concorrência das importações, também muito influenciada pela cotação da moeda norte-americana. David Amorim, assessor de comunicação do MNCR, explica que o preço do papel reciclado é mais baixo que o do papel novo. Porém, há mais desperdício na produção. "O papel reciclado precisa ser triturado, exige mais produtos químicos, e não tem a qualidade nem a pureza do papel novo", disse. Com a desvalorização do dólar, segundo Amorim, o preço do papel novo chega próximo ao do reciclado. Os compradores, então, optam pelo papel que desperdiça menos - o novo, grande parte dele importado."

Lembrou-me uma reportagem que li sobre a producao de biodiesel na Alemanha, a qual reproduzi aqui. O biodiesel eh mais caro de se produzir. Se se acabam os incentivos fiscais, nao compensa produzir biodiesel na Alemanha. Por que nao param de intervir na economia e deixam que tudo corra naturalmente?

Bem, uma coisa me impressionou realmente nessa reportagem: nao sabia que a maior parte do papel brasileiro era importada. Temos grandes fabricas de papel e celulose no pais. Ate uns anos atras, sabia que operavam no limite da capacidade. Nao investiram em maquinario e novas fabricas? Parece que nao. Vou investigar mais e depois conto sobre a industria de papel no pais.

Dica minha, voce arrisca se quiser, e nao me venha com estorias depois se perder dinheiro: o Real esta no pico da valorizacao frente a outras moedas, o Dolar esta no vale. Compensa comprar Dolar agora e guardar debaixo do colchao. Ou, se voce for mais sofisticado, fazer um investimento offshore aqui nos EUA. Analise por si mesmo os graficos no Yahoo Finance. Analise o Real frente ao Dolar, Euro, e Libra.

Um economista do banco fez uma palestra e acredita que o Dolar ainda se desvalorizara, mas frente a moedas asiaticas. Isso porque as asiaticas em sua maioria sao controladas pelos governos. Eles nao tem cambio flutuante. Aguardemos. Quem viver, vera.

9 comentários:

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Patricia,

Curiosidade minha, que pouco entendo de economia:

O que você acha da acumulação de reservas cambiais feita pelo BACEN no Brasil?

Funes, o memorioso disse...

O problema, cara Patrícia, é que nas condições mais rigorosamente controladas de câmbios, taxas de inflação, crescimento económico e desemprego, com o déficit das contas públicas e a balança de pagamentos perfeitamente equilibradas, os agentes económicos actuam como lhes der na cabeça.
É por isso que a essência da actividade dos economistas é explicar porque é que era perfeitamente prevísivel que o que aconteceu tivesse acontecido, embora não o tivessem previsto.

Só mais uma coisinha: a ideia da globalização e da liberalização do comércio foi uma ideia que começou a ser defendida por Inglaterra no séc. XIX, quando ela era a única potência industral do mundo. Defendia a liberalização, porque não temia a concorrência. A liberação que defendia restringia-se aos produtos que só ela fabricava.
A situação hoje não é radicalmente diferente.
Enquanto os USA e a Europa mantiverem o proteccionismo que mantêm em relação aos seus mercados agrícolas, o discurso da globalização não é sério.

Blogildo disse...

Patrícia, vc não acha que o dólar vai cair mais? Fiquei aqui pensando em comprar doláres, mas comprar agora para cair depois... Sei não.

Mas concordo com vc. Mais cedo ou mais tarde essa "farra do boi" da economia mundial vai acabar. E aí eu quero ver o que vai ser da economia brasileira.

Blogildo disse...

O que vc acha dos fundos de renda fixa?

PATRICIA M. disse...

Fabio, conhece resposta de economista? Hehehehe, eh sempre "depende". Eu nao sou economista, mas vamos la.

A dívida externa total estimada em junho de 2007 atingiu US$196,4 bilhões (Bacen). A dívida externa de médio e longo prazos somou US$146,5 bilhões, enquanto a dívida de curto prazo somou US$50 bilhões (Bacen).

Em junho, as reservas internacionais alcançaram US$147,1 bilhões (Bacen).

Voce pode verificar que o colchao que temos la fora ja eh praticamente igual a 100% de toda a divida - publica e privada.

O problema com a acumulacao desenfreada de reservas eh o seguinte: voce se endivida internamente (emitindo titulos publicos atrelados a SELIC, atualmente na casa de 11% ao ano) e compra basicamente titulos do governo americano que rendem 5.25% ao ano. Eh um bom negocio? Do modo como coloquei, NAO. Mas um bom colchao no exterior garante a confianca do investidor estrangeiro no pais, pois sugere que o governo nao dara um calote na divida.

Opiniao pessoal: estao exagerando. Querem segurar o cambio com isso, e nao esta surtindo o efeito desejado.

PATRICIA M. disse...

Funes, concordo com voce, sempre. Economista so sabe explicar fenomenos economicos apos o acontecimento dos mesmos. Sao pessimos em previsoes. E vai perguntar algo a eles, a resposta eh sempre: depende.

PATRICIA M. disse...

Blogildo, a situacao eh complicada. Se voce investir em DI agora, eh uma furada, porque ha a expectativa de queda nas taxas de juros e os fundos DI acompanham o CDI.

Talvez valha a pena investir em titulos de renda fixa. Se voce ja estivesse comprado em renda fixa, seria melhor. Suponha que voec tivesse comprado renda fixa a taxas de 19%, estaria agora fazendo 19% ao ano versus 11% ao ano. Ao mesmo tempo, o mercado de acoes ja esta ultra valorizado, entao o que resta? Cambio e fundos agressivos. Eu tenho dinheiro em fundos agressivos e posso te indicar alguns, dependendo do volume de grana que voce quer aplicar (falamos por e-mail). Eu acho muito dificil haver uma grande desvalorizacao do dolar, por isso recomendo a compra: eu mesma tenho que transferir minha grana do Brasil para ca, e esta mais do que na hora. Se voce tem medo, compra dolares por exemplo para realizar uma viagem ao exterior. Aquele dinheiro fica guardado para o sonho futuro, digamos assim. Alias, para quem tem dinheiro e tempo, esta na hora de viajar ao exterior. Nunca tivemos um cambio tao favoravel. EUA, Argentina, estao baratissimos. Compensa botar o nariz para fora do pais.

Fábio Max Marschner Mayer disse...

Patricia,

Obrigado pela "aula"... esse negocio me intriga já há alguns dias...

Suzy disse...

Patrícia, eu sei que você vai me achar muito cruel, mas diante do que ocorre aqui em terras tupiniquins, estou torcendo que a "farra do boi", como disse o Blogildo, acabe logo. Acho que só com uma situação econômica dificil é que o povo aqui vai tomar vergonha na cara e sair à rua para protestar contra o desgoverno do caos.
Você acha que não pode haver um "terremotozinho" inesperado em bolsas asiáticas que formem uma grande onda para atingir a bolsa no Brasil? Vai, me dá alguma esperança. HAHAHAHAHAHAHAHA!
Sei que isso é coisa de petralha, mas acho que agora preciso me utilizar de armas tão poderosas quanto a dos crápulas!
Beijos