quinta-feira, 12 de julho de 2007

Manual do Eco-Chato

Para os verdes chatos de plantã0, excelente manual confeccionado pelo João Luiz Mauad e publicado no Midia Sem Mascara.

Manual do ambientalista do Século XXI

"Aquecimento Global"? Se você se pretende um ambientalista engajado e dedicado à causa, esqueça este slogan, amigão, pois ele está ultrapassado. O negócio agora é atacar de "Mudanças Climáticas", sem esquecer, é claro, do complemento essencial: "AN-TRO-PO-GÊ-NI-CAS". Não esqueça, nunca, que a espécie humana deve ser responsabilizada por todas as mazelas do mundo, pois a "Mãe Natureza" é sempre pura, benevolente e cândida.

Ao trocar a muitas vezes embaraçosa objetividade da expressão "aquecimento global" pela relatividade do jargão "mudanças climáticas antropogênicas", você estará seguro de que não será apanhado no contrapé por uma dessas ocorrências estranhas do clima terrestre que ainda insistem em suceder - como o outono mais frio dos últimos 100 anos no Cone-Sul, a Páscoa mais fria de todos os tempos nos EUA, a ocorrência de neve em pleno verão australiano, ou a ausência de furacões na Costa Leste americana durante a temporada de 2006. Sabe como é, não podemos antever quando estaremos diante de um desses céticos estúpidos e seus argumentos irritantemente lógicos."

Leia o resto aqui. Eh realmente a cara de muito eco-chato por ai, aqueles desinteressados salvadores do mundo... Lembra-me o desenho animado do Super Mouse.

- Oh quem podera me salvar?
- Super Mouse!

Musiquinha de fundo, enquanto o Super Mouse voa:

Super Mouse seu amiiiiiiiiiigoooooooo... Vai salva-lo do periiiiiiiiiiigooooooo.

3 comentários:

Funes, o memorioso disse...

Eu gosto do Umberto ECO.
E deixe-me dizer-lhe, cara Patrícia, a si que em 2020 vai ser uma das dez pessoas mais ricas e influentes do mundo, que não deve desprezar o ambiente. O ambiente vai ser um dos grandes negócios dos próximos anos.
Hoje vou dedicar a minha tarde a redigir um contrato em que uma central de tratamento de águas residuais vai vender as lamas que sobejam no fim do processo de tratamento a uma outra empresa, para esta as utilizar no fabrico de placas cerâmicas.
Embora os contraentes ainda não o saibam, vou também preparar já o contrato de remoção destas placas dos edifícios em que forem instaladas, para o ter pronto, quando daqui a dez anos se descobrir que, afinal, as tais lamas cerâmicas são cancerígenas.
Ganhar dinheiro no futuro é no negócio do ambiente. Aposto que os seus amigos eco-chatos são é uns grandes estrategas que já viram onde podem enriquecer.

PATRICIA M. disse...

Funes, voce tem razao, como sempre. A questao toda eh comecar um trading ativo de creditos de carbono individuais, ai sim, o negocio vai dar muuuuito dinheiro. Pena que nao pretendo entrar em uma dessas commodities desk no banco, hehe. Energy trading costuma pagar bem.

Blogildo disse...

Eco-chato é um pleonasmo, você não acha? Não conheço um ecologista ou ambientalista que não seja, no fundo, um chatinho.

Mas a vantagem dos chatos é que eles são sempre bonzinhos.