terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Crime Organizado e Outras

Vejam abaixo algumas definicoes de crime organizado (grifos meus), tiradas desse site. Alias, interessante ler que na legislacao brasileira nao se acha o conceito de crime organizado, "sujeitando ao intérprete a definição do que seja Crime Organizado".

"Segundo Manoel López Rey , um dos conceitos de organização criminosa seria a denominada norte americana - italiana - “Organização bastante rígida, uma certa continuidade ‘dinástica’, pelo afã de respeitabilidade de seus dirigentes, severa disciplina interna, lutas internas pelo poder, métodos poucos piedosos de castigo, extensa utilização da corrupção política e policial, ocupação tanto em atividades lícitas como ilícitas, simpatia de alguns setores eleitorais, distribuição geográfica por zonas, enormes lucros e outras características”.

Na síntese de Hassmer, a criminalidade organizada “não é apenas uma organização bem feita, não é somente uma organização internacional, mas é, em última análise, a corrupção da legislatura, da Magistratura, do Ministério Público, da Polícia, ou seja, a paralisação estatal no combate à criminalidade... é uma criminalidade difusa que se caracteriza pela ausência de vítimas individuais, pela pouca visibilidade dos danos causados bem como por um novo modus operandi (profissionalidade, divisão de tarefas, participação de “gente insuspeita”, métodos sofisticados etc.). Ainda mais preocupante, para muitos, é fruto de uma escolha individual e integra certas culturas”.

Alberto Silva Franco, com a sua sobriedade de costume, manifesta-se : “O crime organizado possui uma textura diversa : tem caráter transnacional na medida em que não respeita as fronteiras de cada país e apresenta características assemelhadas em várias nações; detém um imenso poder com base numa estratégia global e numa estrutura organizativa que lhe permite aproveitar as fraquezas estruturais do sistema penal; provoca danosidade social de alto vulto; tem grande força de expansão, compreendendo uma gama de condutas infracionais sem vítimas ou com vítimas difusas; dispõe de meios instrumentais de moderna tecnologia; apresenta um intrincado esquema de conexões com outros grupos delinquenciais e uma rede subterrânea de ligações com os quadros oficiais da vida social, econômica e política da comunidade; origina atos de extrema violência; exibe um poder de corrupção de difícil visibilidade; urde mil disfarces e simulações e, em resumo, é capaz de inerciar ou fragilizar os poderes do próprio Estado."

Bom, acho que agora podemos discutir direito, nao? Porque se me vierem com exemplos ridiculos, ai nao ha mais a desculpa de que nao havia a definicao do que eh crime organizado. A mafia eh o exemplo mais banal de crime organizado; os carteis da droga na Colombia sao outro; os baroes do trafico no Rio de Janeiro um terceiro. Agora, gangs de Los Angeles, facam-me o favor. Aquilo ali eh deliquencia juvenil associada a pequenos assaltos e a consumo de drogas. Nao ha juizes envolvidos, nao ha parlamentares no meio, nao ha corrupcao policial.

Como bem viram nas definicoes - complementares a meu ver, nenhuma substitui a outra - quando ha crime organizado nao ha um perfeito funcionamento das instituicoes mais fundamentais de um pais.

Saindo um pouco do assunto, mas discutindo o respeito as leis e as intituicoes:

- durante os 2 anos que morei em NYC, nunca vi ninguem pulando a catraca do metro.
- durante os 5 meses que morei em Jersey City, nunca vi ninguem pulando a catraca do metro, mesmo que a catacra estivesse aberta e ninguem estivesse olhando. Ha apenas uma camera no local, mas ela te filma de costas - quem vai descobrir?
- por 4 meses morando em Londres, nunca vi ninguem pulando a catraca do metro. Eh *crime* usar o transporte publico sem pagar. CRI-ME. Sujeito a penas criminais se fizer isso.

- no primeiro dia em Paris, vi varias pessoas pulando a catraca, inclusive na frente de uma funcionaria do metro, que nada fez a respeito.
- meu irmao me disse que se quiser, da para pegar onibus de graca em Roma (ele nao quis arriscar, mas disse que da).

Brasileiros frequentadores desse blog, isso entra na cabeca de voces? Ou voces, como uma tia minha (que vergonha), acham que americanos e ingleses sao uns otarios, porque poderiam passar sem pagar?

Voce ja pagou propina a policial? Voce ja deu um jeitinho para passar aquele formulario XYZ na frente dos outros, porque molhou a mao da funcionaria do governo? Voce registra sua empregada direito? Voce ja fez carteirinha de estudante falsificada, so para pagar meia entrada no cinema? Voce mente que esta doente so para nao ir trabalhar e pegar uma praia? Voce fuma seu beckzinho no final de semana - "so para relaxar" - e acha que esta tudo bem, afinal ninguem morre por causa disso?

Entao, se voce faz tudo isso e mais um pouco, voce eh um "piece of shit". E eh por isso que o Brasil eh assim. E nunca melhorara. Nao eh so o PT nao, nao eh so Lulla nao, eh a cultura. Eh a latinidad. Afinal, nao ha pecado abaixo do Equador...

15 comentários:

PATRICIA M. disse...

Para deixar claro, eu nao sou perfeita nao, afinal vivi quase 3 decadas abaixo do Equador. Ja fiz uma das coisas citadas na lista, e ja devo ter feito mais.

Mas aos poucos tento me livrar desse jeito Gerson de ser.

Vejam o exemplo daquela escritora Ayaan Hirsi, nascida na Somalia e vivendo na Holanda: "My argument is that western liberal culture is superior to Islamic tribal group culture." Ha culturas superiores? Mais debate e mais polemica...

Lelec disse...

Oi oi Patrícia, sou eu de novo,

Realmente, aqui em Paris é a coisa mais comum do mundo ver alguém passando pelas catracas do metrô sem pagar. Mas quando a polícia do Sarkô pega o camarada... Sai da frente!

Bem, mais uma vez acho que seu amor pela Inglaterra (que é legítimo e que entendo perfeitamente, pois se trata mesmo de um país admirável) está lhe confundindo as idéias. Você escreve com a mesma paixão que recrimina nos seus leitores. Sua análise não é, definitivamente, isenta. Que bom! Somos mesmo seres movidos por paixões!

Quer dizer que você não é perfeita por ter morado abaixo do Equador? Então um londrino que nunca saiu da City é um sujeito imaculado e sem defeitos? Menos, né? Somos todos imperfeitos porque somos humanos.

Quanto ao tráfico de drogas nos EUA, é óbvio que se trata de crime organizado, por mais que você não o aceite. Pergunte para qualquer norte-americano, para qualquer um dos candidatos à presidência. É claro, o crime organizado lá não tão tentacular como no Brasil, mas é crime organizado sim, inclusive com cooperação de certos setores da polícia. Há mesmo zilhões de filmes que exploraram isso. O mais recente é o ótimo "American Gangster", com Russel Crowe e Denzel Washington.

Quanto à Ayaan Hirsi, após ter sido deputada na Holanda, ela atualmente vive nos EUA, desde 2006.

Bem, é isso, vou trabalhar... Bonne journée!

Bises,

Lelec

Cfe disse...

Patrícia,

Há uma diferença muito grande entre os países de tradição protestante e os de tradição católica. Repare que digo "tradição" porque a Inglaterra está a caminho de tornar-se católica mas em sua essência tem um tradição protestante.

Por tradição protestante entendo uma sociedade onde o indivíduo é responsabilizado até as últimas consequências. E onde a independecia é prezada: repare no incentivo ao emprego de verão aos jovens americanos, canadenses e compare com a mamata de muitos que vivem da mesada do papai nos países católicos.

Há o outro lado que é muito bom nos países católicos onde a união familiar é mais intensa.

Para mim as nações protestantes prezam mais o indivíduo, a pessoa e as católicas o grupo, o clã. Não é a toa que as democracias anglo-saxãs são as mais fortes mas tambem onde surge aquelas maluqueiras de adolescentes matando colegas nas escolas.

Não concorda? Veja o caso do Canadá.

É claro que devido a influênca cultural de filmes, músicas e as deslocações de pessoas a regra não é rígida.

Cfe

PS 1: O Ira foi uma espécie de máfia, o independentistas da Córsega tambem, a Eta idem e as Farc tambem.

PS2: Visite o metrô de Roma, é imperdível . Ninguem paga bilhete porque as catracas estão todas destruídas. Ninguem uma vírgula, eu paguei. E os vagões...veja que você vai entender. Mas cuidado com a bolsa.

Fernando Sampaio disse...

Patricia,
Gangs são parte fundamental na distribuição de drogas nos Estados Unidos, a polícia americana e o FBI reconhecem isso, e são organizadas como corporações comerciais. A delinquência juvenil é só a face mais aparente dessa rede de crime.
O fato do crime organizado não comprar juízes e deputados nos países desenvolvidos (felizmente) não quer dizer que ele não atue no território desses mesmos países, que afinal são seus principais mercados.
Sugiro a leitura desses posts meus:

http://deslumieres.blogspot.com/2007/08/os-novos-senhores-do-crime.html

http://deslumieres.blogspot.com/2007/03/o-mapa-da-violncia-e-violncia.html

E pra finalizar concordo com a Hirsi Ali, há culturas que podem ser consideradas superiores sim (eu diria mais evoluídas), onde liberdade e direitos humanos são mais respeitados do que em outras. Ou alguém quer dizer que a cultura daqueles índios que enterram vivas suas crianças deficientes é tão superior quanto a nossa?
Beijo

Fábio Mayer disse...

É o que sempre digo. O que diferencia os latinos dos, digamos, celtas e orientais, é o império da Lei e as noções de interesse coletivo e hierarquia.

Os latinos querem um Estado que tudo provê, sem pagar nada por isso. Os demais, preferem pagar para ter um Estado que cuide das coisas básicas que alicerçam a vida.

Daí você transfere isso para o conceito do crime organizado e nota algo interessante: Aqui no Brasil, no Rio de Janeiro mais especificamente, há quem defenda não combater o crime organizado, porque ele substitui o Estado em cartos aspectos, sem cobrar nada por isso. As pessoas são simpáticas ao crime porque ele não cobra nada por certos serviços que de um modo ou outro o Estado cobra...

Fernando Sampaio disse...

Mais sugestões:
“The Financial Activities of an Urban Street Gang,” Quarterly Journal of Economics 115, no. 3 (August 2000)
“The Political Economy of an American Street Gang,” American Bar Foundation working paper, 1998.

Blogildo disse...

I'm a piece of shit. But I have taken a shower! Hehehehee!

Falando sério, acho que o problema é por aí mesmo! Mas há uma causa, a meu ver, por esse pouco apreço às leis: Descaso para com as coisas do espírito.

Cláudio disse...

Estou em Paris agora (a trabalho, mas nunca é só trabalho) e no segundo dia já vi um cara entrar na platforma pela passagem de saída. À noite, por volta das 10:00 as estações viram dormitórios para vários sem-teto. Mas tirando esses detalhes, a cidade é um espetáculo.

Blogildo disse...

E aí, minha cara economista? Como você está vendo essa recessão da economia americana?

Daniel F. Silva disse...

Malandragem (do bem e, principalmente, do mal) existe em todos os cantos do mundo... O que varia é o grau de tolerância a isso. O Brasil, infelizmente, está entre os mais tolerantes.

PATRICIA M. disse...

Blogildo, nao sou economista, sou engenheira de formacao e atualmente trabalho no mercado financeiro.

:-)

Suzy disse...

Patricia, não é sdó a "latinidad", é também o lance do espírito (e incluo aqui os valores morais) que o Blogildo colocou.

Anônimo disse...

Há pouco tempo comentei sobre uma boa idéia que vinha do Paquistão - transformar os grupos "Sou da Paz" em grupos "Eram da Paz".

Oito membros de comitê de paz são mortos no Paquistão
http://www.estadao.com.br/internacional/not_int105261

Parece que começamos a imitar o Paquistão.

Defensor de direitos humanos tem carro alvejado no Rio
http://www.estadao.com.br/cidades/not_cid112329,0.htm

Anônimo disse...

Essa estória de que todas as culturas são equivalentes é resultado da esquerdopatia dos anos 60. Somente um retardado mental poderia colocar em pé de igualdade um cultura cuja expressão máxima é uma dança em torno de uma fogueira (tribos Africanas) e uma cultura que enviou o homem à Lua. Há muito tempo já conclui que existem somente 2 culturas no mundo - A Americana e as OUTRAS.

Costajr disse...

Acho que até agora ninguém tocou num ponto fundamental: a educação. Quanto mais educado, no sentido de instruído, foR um povo, mais respeito pelas leis haverá.

A maioria que lê o blog deve conhecer uma pesquisa da UFF, se não estou enganado, onde se viu que nas faixas menos instruídas da população, a prática do jeitinho e da transgressão à lei são vistas não só como normais como também um exemplo de sagacidade.

Recentemente li um texto de Tocqueville chamado Viagens à Inglaterra e à Irlanda. O livro é de 1835. Na tal obra, a impressão que o autor francês tem da Irlanda é de um lugar atrasado e em alguns aspectos, selvagem. E como está a Irlanda hoje?

Vivendo em Londres, talvez Patrícia possa falar melhor sobre a Irlanda hoje, mas duvido que em 2008 um estrangeiro terá a mesma impressão que Tocqueville teve no século XIX. Qual o diferencial? o invetimento maçiço em educação.

Rejeito a idéia de que a latinidade é um fator, por si só, causador de crimes e de atraso. Isso é determinismo. Ainda penso que um povo instruído pode não ser um povo perfeito, mas certamente estará mais ciente de seus direitos e de seus deveres enquanto cidadão.