terça-feira, 27 de novembro de 2007

Piadas do Mulla

Frases do Mulla durante o lançamento em Brasília do Relatório sobre Desenvolvimento Humano, da Organização das Nações unidas (ONU):

1) "É preciso que os países ricos saibam que agora, em Bali, nós vamos discutir com muita seriedade o preço que os países ricos têm que pagar para que os países mais pobres possam preservar as suas florestas", disse Lula, referindo-se à cúpula da ONU em Bali (Indonésia) que vai iniciar as discussões sobre um novo tratado climático global.

Se eles vão pagar, então terão o direito de vigiar, correto? Se eu alugo um bem, tenho de retornar o bem intacto a quem me alugou. Se isso não ocorre, punições são previstas em contrato. Quero saber que tipo de punição os paisecos pobres vão sofrer caso não cumpram o contrato. Mulla, não vale dizer o típico "eu não sabia de nada".

2) O governo brasileiro defende habitualmente "incentivos positivos" financiados por países ricos para ajudar na proteção das florestas em países em desenvolvimento. O Brasil quer também uma convenção internacional para obrigar os grandes laboratórios farmacêuticos a pagarem por drogas derivadas de plantas descobertas nas florestas.

"Não aceitamos ser tratados nessa discussão como cidadãos de segunda classe", disse Lula, que também criticou os EUA por darem subsídios à produção de etanol de milho, que é menos eficiente que o álcool de cana, alvo de pesadas taxas no mercado norte-americano.

"Cadê o equilíbrio comercial? Cadê a vontade de despoluir o Planeta? ... Poderia começar taxando o petróleo", acrescentou. Lula também ridicularizou os carros "beberrões" usados em países desenvolvidos. "Tem carros produzidos em alguns países do mundo que não conseguem virar a curva numa esquina, de tão grandes que são. Um carro daqueles daria para fazer três carros populares aqui no Brasil", afirmou.


Mulla, o Brasil é um grande poluidor. Começa a cuidar do seu quintal, falastrão. A cada campo de futebol que é queimado na Amazônia, milhares de gases tóxicos são liberados na atmosfera. A maior poluidora do mundo é a China. O terceiro-mundo é pobre e sujo. Isso de "sou pobre mas sou limpinho" é ficção.

E que tem usar carro grande? A gente é rico e gosta de ter carro grande. Carro popular, pequeno, é coisa de pobre. Problema de pobre, se não pode pagar por carro grande. Por que você não proibe a manufatura de carro grande no Brasil? Começa a fazer em casa, ao invés de meter o dedo sujo na cara dos outros. Pobretão. Fala igual pobre na chuva. Cala a boca, Mulla.

2 comentários:

Blogildo disse...

Por sinal, quem vive acusando os outros de poluir o planeta e outras abobrinhas devia dar o exemplo.
Só que o Chevrolet Omega que o Lullla usa é um tremendo poluidor.

http://oglobo.globo.com/pais/mat/2007/11/18/327216156.asp

Fábio Mayer disse...

O Brasil é o 4º ou 5º mercado mundial de carros de altíssimo luxo, mesmo com a gasolina mais cara do mundo.

Nossas cidades privilegiam o carro em detrimento dos demais meios de transporte, basta ver SP, que impermeabilizou o solo com avenidas, ruas, viadutos e uscambau e não dá conta do acréscimo de tráfego, que agora, os bacanas substituem pelo de helicópteros, muito mais poluentes (inclusive sob o aspecto sonoro) e perigosos.

O povo brasileiro, ignorante e estúpido, joga de tudo nos rios... desde sacolas de lixo até fogões, TV(s) e carros velhos.

Enfim... o presidete teria grandes nichos de atuação para falar em preservação aqui dentro do Brasil, que é um país que polui muito, basicamente porque sua população é de néscios e ignorantes. Um bom programa educacional-ecológico ajudaria... mas isso não sai dos corredores do MEC de jeito nenhum, não dá voto nem discurso bonito, afinal!