sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Criminosos

Esse Paulo Bernardo eh um pustula, para dizer o minimo. Acho que ele representa a cara do governo Mulla: apoio a desordem, a ilegalidade, a quebra das instituicoes. Um revolucionario, no melhor sentido da palavra: bandido criminoso salafrario.

Vejam o que o pustula disse:

Da AE - "O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, disse hoje, em Cascavel, no Oeste do Paraná, que os militantes do PT e os movimentos sociais devem continuar denunciando as ameaças de ruralistas e a formação de milícias armadas no campo. "Essas coisas não podem estar acontecendo porque pode morrer mais gente. O negócio é denunciar e colocar essas facções em se devido lugar", declarou o ministro, referindo-se aos produtores rurais.

Comentario: o MST eh o que? Um monte de gente pacifica carregando rosas e cantando a famigerada musica do Vandre? O MST nao eh uma faccao? Milicia armada? Se morreu um seguranca no Parana eh porque os criminosos do MST andam armados sim, e ate os dentes.

A declaração do ministro ocorreu durante um encontro com militantes petistas na Câmara de Vereadores de Cascavel. Bem à vontade, Paulo Bernardo falou para uma platéia de aproximadamente 100 militantes, que durante uma hora e meia questionaram o ministro sobre vários assuntos. O confronto na fazenda Syngenta dia 21 de outubro, que culminou com a morte de um sem-terra e um segurança, estimulou os militantes do partido a cobrarem uma posição do ministro e proteção aos movimentos sociais.

Comentario: por mim, quero que se repita Eldorado dos Carajas. Porque se sem-terra ou o escambau a quatro acha que pode invadir propriedade privada assim sem mais nem menos, tem que levar chumbo. Protecao a movimento social? Ja basta a acobertacao dos crimes desses bandidos criminosos que sao esses sem-terra, e ja basta a protecao que a sociedade brasileira como um todo da a qualquer bandido. Quando eh que as pessoas de bem realmente terao protecao no Bananao?

"Acho que o governo do Paraná já está fazendo isso", disse o ministro, referindo-se às investigações da Polícia Civil sobre a formação de supostas milícias armadas para executar por conta própria as reintegrações de posse no Estado. O ministro se comprometeu em conversar sobre o assunto com o ministro da Justiça Tarso Genro. A Sociedade Rural do Oeste (SRO), que é acusada de fomentar a violência no campo, considerou as declarações do ministro como infelizes.

Comentario: se os fazendeiros nao se unem e agem por conta, vao ficar esperando a Justica brasileira conseguir a reintegracao? Depois de ter a propriedade toda destruida por aqueles animais de 2 patas?

Paulo Bernardo, voce eh um PUSTULA, um CANCRO!

3 comentários:

Blogildo disse...

Sabe o que é curioso? É que justamente no Pará, onde a governadora é petista, o MST deita e rola. Os fazendeiros é que são punidos.
Segundo o Olavão num ótimo texto no Diário do Comércio essa semana (Acho que é 'Carta a um amigo americano' ou coisa assim) ele fala da situação no Mato Grosso. Os bandi...,quero dizer, militantes do MST abandonaram as terras que ivandiram por lá, dando prioridade a fazendas próximas de rodovias para que pudessem bloquear as estradas sempre que quiserem.
Mas uns fazendeiros do sul compraram as terras que os militantes abandonaram e estão "bombando" no agronegócio.
A questão que se levanta é: Reforma agrária pra quê?

PATRICIA M. disse...

Blogildo, eh tudo uma questao politica. Eles nao querem terra porcaria nenhuma, eles querem poder. Eh so isso. Ou vc consegue imaginar aquele Ze Rainha de enxada na mao? Ja conseguiu imaginar o Mulla de torno mecanico na mao? Eu so consigo imagina-lo cocando o saco atras de uma mesa de sindicato, bebendo cachaca e jogando truco.

Quanto ao Rainha, bem esse ai me lembra Stalin. Nao sei ainda porque, tsc tsc tsc.

Blogildo disse...

Pois é. O MST quer fazer - ou finge querer fazer - agricultura como no tempo das cavernas. Hoje em dia há tecnologia, semente transgênica e o escambáu! Não há necessidade de um bando de camponeses trabalhando no campo. Uma família bem equipada vale mais do que milhares de camponeses. Esse movimento é um embuste e um retrocesso.

O Lullla (agora é com três "Ls") nunca pegou no tranco. Quando pegou tava tão chapado que perdeu o dedo mínimo!