terça-feira, 6 de novembro de 2007

País Desenvolvido

Ah, como é bom morar em país civilizado e desenvolvido. Olha só como é a Inglaterra. Eu fico aqui pensando, onde está mesmo o trem-bala que iria ligar o Rio de Janeiro a São Paulo? Hahahahahahaha.

Quem quer fazer o trajeto Rio-Sampa tem 3 opções: perder 5 horas de avião (horas no trânsito, mais o tempo de taxiagem, e finalmente os minutos de vôo), enfrentar a Dutra assassina de carro por umas 5 horas também, ou pegar um bumba e dar a sorte de conseguir passar ileso pela Avenida Brasil sem ter o veículo queimado por traficante sou-da-paix. Ê ô ô, vida de gado... Povo marcado, ê, povo feliz!!!!

Da AFP - "Jóia da arquitetura vitoriana esquecida em um bairro abandonado de Londres, a estação de Saint-Pancras ganhou vida novamente em pleno século XXI graças a um investimento de 1,2 bilhão de euros e 6 anos de trabalho que fizeram da antiga construção uma catedral cheia de requinte e dedicada ao trem-bala.

Sem as luzes em neon, sem as salas de espera em que se sentia um frio glacial, a St-Pancras agora é luxuosa. Lojas populares foram substituídas por butiques refinadas, o Mc Donalds saiu e em seu lugar ficou um pub e o famoso "Hotel da Estação" será um estabelecimento cinco estrelas que só deve ser inaugurado em 2009.


"Reencontrando o prestígio das estações e das viagens de trem, nós fizemos da Saint-Pancras um destino em si. A estação vai se tornar um ponto de encontro em Londres", comemora Mike Luddy, diretor do projeto da London and Continental Railway (LCR), a empresa que coordena o Eurostar do lado inglês da Mancha.

O objetivo da empreitada é claro: convencer a clientela mais rica a tomar um trem e não um avião. Para fazer isso, Londres já dispõe do prédio ideal: uma obra-prima vitoriana que é considerada desde sua construção, em 1868, o maior espaço fechado do mundo. O imenso vitral de 32 metros de altura também foi reformado e ganhou nova vida.

Bombardeada durante a guerra e esquecida em um bairro abandonado, a estação precisou de uma recauchutagem geral. Sua situação chegou a um ponto tal que, nos anos 60, a demolição da construção chegou a ser cogitada. Seis anos de trabalho e 800 milhões de libras (1,2 bilhão de euros) mais tarde permitiram aliar o romantismo do século XIX à sofisticação tecnológica do XXI: internet sem fio, vidros autolimpantes, chão redutor de barulho e interconexão com uma dezena de linhas de metrô e de trem. Como que vigiando os movimentos, uma imponente estátua de 9 metros acolhe os 50 milhões de viajantes esperados por ano."

5 comentários:

Luc disse...

Pô Pat, tu é uma metida mesmo...rs

Vem aqui, no Rio, pega um trem que você logo vê bala...kkkkk

E mais...Tem bala dos mais variados calibres e ainda tem uma tal "bala" que os jovens compram e levam para as festinhas.

Fábio Mayer disse...

Mas agora, com a Copa 2014 terá trem bala (de verdade, não aquele no RJ, onde as pessoas são baleadas!) entre RJ e SP!

Só que ele vai custar o preço do TGV francês, do trem bala japonês e de todos os demais do mundo juntos, e só vai ficar pronto em 2019...

Blogildo disse...

Quando a cidade do Rio tiver a mesma idade de Londres você vai ver só! Você não perde por esperar! Hehehehe!

PATRICIA M. disse...

Blogildo, se fosse assim a Palestina seria uma maravilha, heim!!! Hahahahahahahahaha.

E eh aquele lixo todo...

Funes, o memorioso disse...

O pior de tudo mesmo é viver em Portugal, um país de terceiro mundo com pretensões de ser do primeiro.