domingo, 14 de setembro de 2008

Polemica

Ha uma decada atras estava discutindo com um colega de banco em um desses treinamentos que toda turma de trainee tem quando entra em um banco - um desses treinamentos sobre etica, preconceito, etc. O colega em questao era um argentino judeu, e vociferava furiosamente contra o anti-semitismo.

Eu ja nao gostava do cara em primeiro lugar por ele ser argentino, em segundo por ser extremamente convencido, entao decidi bancar a advogada de defesa do outro lado. Oh nao, nao defendi o nazismo, logico, fora de questao. O ponto todo era o seguinte: poderia uma pessoa por exemplo nao gostar de um determinado grupo de pessoas - tais quais os judeus, por exemplo - mas somente colocar sua antipatia em pratica na vida privada e nao na vida profissional?

Isso eh, o individuo pode escolher nao conviver com judeus durante o final de semana, ou frequentar um clube privado que nao aceite judeus como socios; desde que ele nao participe de manifestacoes violentas contra os judeus, e desde que ele nao os discrimine no ambiente profissional, seria isso valido?

Eu nao cheguei a uma conclusao final, e logico que a discussao foi interrompida para a continuacao dos trabalhos. Mas creio que ainda acho que os seres humanos podem detestar outros em seu intimo, desde que a manifestacao nao se exteriorize em atos violentos e/ou preconceituosos. Separar teoria da pratica nesse caso parece o mais dificil de ser alcancado, em toda historia humana.

Nota: esses caras aqui tambem nao sao flor que se cheire...

2 comentários:

Vinicius disse...

Lady, se um grupo de pessoas detestar um outro grupo qualquer, será somente uma questão de tempo para que comecem a ocorrer manifestações violentas de ambos os lados. Essa idéia de convivência "politicamente correta" é, na minha opinião, uma grande bobagem inventada e propagada pelos Americanos.

PATRICIA M. disse...

Vini, concordo, os seres humanos nao passam de bestas semi-civilizadas...