quarta-feira, 26 de julho de 2006

Richthofen e Champinha - 2 pesos, 2 medidas

Era uma vez, uma garota branca e bonita, de sobrenome alemao, que morava em um bairro classe media alta de Sao Paulo. De repente (ou nao), a garota chamada Suzane decide matar os pais. Nao sabemos exatamente o porque, e nunca saberemos. Sera que foi pura ganancia, sera que ela foi ingenua, sera que foi manipulada por Pink & Cerebro que nessa estoria se chamam irmaos Cravinhos? Ao inves da nossa garota Suzane xingar uns palavroes e se trancar no quarto ao som do heavy metal mais pesado, demonstrando assim sua rebeldia, nao... Ela toma uma decisao mais extrema. O problema foi que a nossa heroina (ou bandida) nao fez a licao de casa que devia: era maior de idade, nao estudou o crime da Rua Cuba para fazer igual, se envolveu com 2 individuos suspeitos por natureza, ou seja, foi extremamente amadora. Agora vai pegar 39 anos de prisao. Claro que nao vai ficar todo esse tempo na cadeia, mas vai perder uns bons anos.

Em outro canto da cidade... morava um garoto feio e pobre, nao sabemos nem seu nome nem seu sobrenome. So sabemos seu apelido estranho, Champinha. Nao tendo mais nada interessante na vida a que se dedicar, nosso estimado Champinha decide ser bandido por profissao, e inicia cedo sua carreira. Logico, quanto mais cedo melhor, mais progresso voce faz, e ainda conta com certos beneficios generosamente cedidos pela sociedade. O nosso amigo (ou inimigo) Champinha, juntamente com seus colegas, resolve sequestrar um casal de jovens que estava curtindo a vida por perto, infelizmente para eles. Nao contente em sequestrar, o grupo de amigos decide tambem torturar, estuprar e matar. Os amigos de Champinha vao ser estudantes do PCC nas prisoes paulistas. Ja Champinha nosso amigo, ao contrario da heroina Suzane, eh um profissional do crime: nao vai pegar nada, estara ai, solto nas ruas, em breve, em nossa estimada companhia.

A estoria nao tem moral. O Brasil nao tem moral. A nossa sociedade tambem nao tem moral. Leis devem ser obedecidas, e cidadaos que nao o fazem devem ser punidos. Mas leis estupidas tem que ser alteradas por cidadaos inteligentes. Afinal de contas, Suzane representa um perigo para a sociedade em geral? Nao. Ela vai voltar a cometer crimes hediondos? Muito provavelmente nao. O nosso amigo da Rua Cuba, depois de matar os pais, nunca mais fez nada, se estatistica conta para alguma coisa. E Champinha? Ah, Champinha eh outra estoria...

Um comentário:

Thiago Quintella disse...

A lei é igual para todos... a economia não!