sexta-feira, 3 de junho de 2011

Resolucao

Na quinta-feira da semana passada fui a Belo Horizonte, passar 1 semana por la com minha mae ja que meu marido iria a trabalho para a Cidade do Mexico e eu nao gosto de ficar em Sao Paulo. Alias, eu nao gosto de Sao Paulo, mas esse eh outro assunto.


Bom, como sempre acontece comigo, quando tenho que tomar uma decisao sobre um assunto que me eh caro, tomo-a de forma rapida, quase violenta. Lembro que foi exatamente assim quando decidi me casar no civil em Nova Iorque: 2 telefonemas no Skype, um par de consultas a paginas na internet, 2 dias de compras, e voila, estavamos nos casando no melhor estilo Sex & The City - um casamento civil no City Hall seguido por uma festinha para amigos intimos no restaurante favorito da cidade. Foi memoravel.

Dessa vez foi o religioso. Vou me casar na igreja. Ha tempos que vinha pensando sobre isso. Nao que sempre sonhei casar de branco, nao eh esse o caso. Sentia falta do sacramento. Queria o sacramento do matrimonio. Nao podiamos continuar nessa situacao, vivendo sem a bencao de Deus.

Pois, na sexta-feira pela manha a ideia recorrente ficou mais e mais insistente. Decidi sair do campo de ideias para o campo de acoes. Ligamos para uma igreja pequena, perto de casa, onde meu outro irmao se casou. "Tem sabado disponivel, em junho ou julho, para casamento?" "2012?" "Nao, eh para junho ou julho AGORA." "Ah, nao vai ter." Eu cochichando para a minha mae, do lado do telefone, pergunta para sexta a noite entao. De repente a senhora do outro lado da linha disse que recentemente havia ocorrido uma desistencia, se sabado 9 de julho estava bom?

Sabado 9 de julho! Essa data eh super especial. Ha 6 anos atras, em 2005, iriamos no casar em 9 de julho. Tivemos que desistir do casamento porque o Weslley estava esperando o visto de trabalho dele sair nos Estados Unidos e nao podia vir ao Brasil. Logo em seguida, eu embarquei para a minha aventura no exterior. Bricava eu na epoca que 9 de julho era especial porque era feriado em Sao Paulo mas nao era feriado em Belo Horizonte, e eu sendo mineira e ele paulista, casariamos no dia da Revolucao Constitucionalista de 1932. Um aparte, naquela epoca exultava-me com a vitoria dos mineiros sobre os paulistas, por puro bairrismo. Hoje, penso que o Brasil seria outro se os paulistas tivessem sido vitoriosos. Uma pena que nao foram.

Bom, em 3 dias consegui resolver quase tudo sobre o casamento. Esta sendo rapido e divertido resolver as coisas, assim como foi em Nova Iorque. E eh sempre assim quando tomo decisoes que ja estavam tomadas no meu intimo.

2 comentários:

querovencer disse...

Que bom que vc admite que se os paulistas vencessem em 32 o país poderia ser outro... pois é, venceram os traidores mineiros junto com os nossos inimigos de sangue, os gaúchos! Agora temos aí: essa beleza de Aécio Neves em MG paparicando os ptralhas e temos o "bondoso" Tarso Genro no sul em um período que não fica muito distante de 32, se considerarmos para onde vai o país nas mãos dessa corja. SP não vai tão bem, mas continua a salvar o resto do Brasil e digo, não pela economia, mas pelo fato de ainda não ter caido nas mãos ptralhas.
Abs.
PS: sou nascido em Ponte Nova, mas, mais do que nunca, paulistano.

patricia m. disse...

Pois eh. Admiro muito os paulistas, assim como voce. O unico problema realmente eh a cidade de Sao Paulo. Desde que voltei do exterior, tenho achado insuportavel morar aqui. Eh grande demais, caotica demais, transito demais, etc etc etc. Seria uma cidade excelente se tivesse parado nos 10 milhoes de pessoas. E se tivesse metro cobrindo a capital inteira.
De qualquer forma, o estado de Sao Paulo eh admiravel. Mas ainda assim, toda vez que vou a Minas, me bate uma saudade das montanhas. "Noventa por cento de ferro nas calcadas. Oitenta por cento de ferro nas almas." Belo Horizonte "eh apenas uma fotografia na parede. Mas como doi."