quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Ausencia

Descobri o Philip Roth e passei horas incriveis com ele!

Onde eh que eu estava com a cabeca que ainda nao peguei a lista de ganhadores do Pulitzer e comecei a comprar os livros deles?

Um dos melhores autores americanos contemporaneos que li nos ultimos tempos (consegui em uma maratona literaria nos ultimos dias ler A Marca Humana e Adeus, Columbus. Pena que li em portugues, talvez se conseguir comprar a colecao toda leia de novo em ingles.

Mas ainda prefiro o Faulkner, como escritor americano favorito de todos os tempos. Falando nisso, eh outro que preciso comprar todos os livros e ler no original.

Tenho muita diversao pela frente, pelo visto. :-)))

Um comentário:

Funes, o memorioso disse...

Asneira grossa, Patrícia.
Coimbra é uma cidadezinha de província sem interesse nenhum. Se a sua divina progenitora não pode vir ao Porto, então que se deixe ficar por Lisboa. Que vá a Sintra, à Serra da Arrábida, a Mafra e a Alcobaça, mas nunca por nunca a Coimbra. É uma perda de tempo.
De resto, de Lisboa a Coimbra são duas horas de automóvel ou de Comboio. De Lisboa ao Porto são três. As duas horas a mais na ida e na volta mais do que compensam.
Digo isto sem nenhuma espécie de bairrismo. Eu vivi os primeiros anos da minha vida perto de Coimbra e estudei lá.